Resenha| Belas Adormecidas

11:52 8 Comments A+ a-


Uma misteriosa doença do sono batizada de "Aurora" começa a acometer todas as mulheres do mundo. Ao dormir, as mulheres são totalmente envoltas em um casulo branco e não acordam mais. Se despertadas, ficam em um estado semiconsciente e reagem violentamente para depois voltarem a um sono profundo. Em poucos dias, quase toda população mundial foi atingida.

Na pacata cidade de Dooling, uma misteriosa mulher é levada à penitenciária feminina. Lá, as autoridades percebem que ela dorme e acorda normalmente. Aparentemente, ela é o único caso de imunidade ao vírus "Aurora". Evie Black afirma que tem ligação com o surto de sono que, a cada minuto, faz centenas de milhares vítimas. Ela afirma também que pode mudar o cenário mundial, mas precisa que algumas regras sejam seguidas. Do lado de fora da penitenciária e em todas as partes do mundo, os homens estão assustados. Alguns fariam o que fosse preciso para terem suas mulheres de volta. Outros, acham que donas de casa e crianças inocentes cometendo assassinatos quando acordadas é mais que perigoso, é inaceitável. Surge a brigada do maçarico, onde discursos de ódio incentivam os homens a tocarem fogo nos casulos onde repousam as mulheres.

"Ele se perguntava porque diabos o mundo tinha sido criado. As coisas boas eram poucas, e todo o resto era horrível."

Quando o boato de que uma presidiária é a única mulher que não foi atingida pela "Aurora", uma chama de esperança se acende nos homens de Dooling. Eles estão dispostos a fazer qualquer coisa para que ela fale o que sabe e acabe com tudo  que está acontecendo. Mas isso viola a regra principal estabelecida por Evie...

Em um ano que parece ter sido dedicado ao Mestre do Terror, recebemos mais um presente da Editora Suma. Depois de vários relançamentos, adaptações cinematográficas arrebatadoras (ou não), chega em nossas mãos mais uma obra-prima com a assinatura de nada mais nada menos que dois Kings. Sim, em parceria inédita com seu filho Owen, Stephen King nos presenteia com um livro atual e reflexivo travestido de terror e fantasia. Com 730 páginas, Belas Adormecidas lança o leitor em um furacão de perguntas onde o epicentro é a crítica a uma sociedade predominantemente machista e opressora. Surpresos? Não mais do que eu que, embora seja fã de carteirinha do King, não consegui identificar diferença na escrita do pai e do filho. Para a nossa alegria, é confirmada a teoria de que o dom da escrita reside na genética dos King.

No livro temos a oportunidade de conhecer previamente uma série que, tenho certeza, será um sucesso. O livro mal saiu do forno e já teve seus direitos comprados pela Anonymous Content, embora não haja previsão de estréia ainda. Resta saber se a emissora vai conseguir passar todo o sentimento dedicado a cada um dos personagens. Nesse volume, tem até glossário de personagens e, se inicialmente pode haver uma leve confusão no leitor com relação aos personagens, não é nada que ao longo da leitura não seja dissipado. Aliás, essa é uma das marcas do King que parece ter sido seguido a risca pelo Owen: o fato de todos os personagens serem dotados de personalidades distintas e serem facilmente materializados, amados e/ou odiados por quem os lê.

Por falar em regras ou marcas do King (como preferirem), conheçam Dooling, uma cidadezinha onde a coisa mais importante que poderia e deveria acontecer seria os jogos de verão e de repente... BOOM, simplesmente se torna o olho do furacão. Vi algumas críticas sobre o tamanho do livro e alguns alegam que poderia ter sido enxugado em algumas partes. Eu particularmente discordo. É uma bíblia, sim, mas é um livro com muitos personagens que, diga-se de passagem, foram muito bem abordados. Inclusive, você começa a viver na cidade e dentro da casa de cada um deles, conhecendo seus segredos, vícios, trejeitos e rotinas. Em um determinado momento que não sei explicar, você se torna um morador - expectador da cidade, tipo, a vizinha fofoqueira que sabe tudo e da vida de todos e, acreditem, isso não é apenas bom, é viciante.

É difícil falar de um personagem específico, porque quase todos tem papéis fundamentais na trama. Por mais que pareçam esquecidos, é como dizem: mais cedo ou mais tarde a sua hora vai chegar, mas o Dr. Norcross, a xerife Lila, a própria Evie, algumas detentas e Frank, o cara do controle de animais, tem um envolvimento marcante na história. Como aparentemente a história gira em torno da Evie (descubram se procede), preciso confessar que gostei dela de cara, mas também achei ela meio louca em alguns momentos. Então, nada de achar que existe um personagem perfeito: aqui a realidade é nua e crua, as pessoas podem ser boas ou ruins, tomar decisões certas ou erradas.

Como eu disse, embora ainda seja uma obra do King (dessa vez em dose dupla), o terror fantástico se mistura à realidade e traz até referências bíblicas. O que aconteceria em um mundo que não existisse mulheres? Como os homens viveriam? Será que não estamos sugando demais da natureza? E o fim do mundo, será que é mesmo do jeito que a gente imagina? Essas e muitas outras respostas você vai encontrar nesse livro maravilhoso, que vale cada centavo e cada minuto da sua atenção. É mais do que uma boa leitura, é uma reflexão necessária que chama atenção para o mundo em que vivemos atualmente e faz o leitor imaginar  como reagiria a uma situação extrema onde pensar na coletividade talvez fosse a coisa mais sensata a se fazer diante dos próprios anseios.

Editora Suma | Classificação: 5/5 | Ofertas 
Créditos: Resenhando Sonhos

Pisciana, 2.6, humor de 60, dramática, apaixonada por livros e animais.

Instagram: @deebritoo

8 Comentários
Comentários

8 comentários

Write comentários
Marijleite
AUTHOR
21 de dezembro de 2017 16:20 delete

Olá, eu PRECISO ler algo do King! Estava curiosa para ver uma resenha desse livro, pois tinha achado a capa atrativa mas não sabia do que se tratava. Achei bem instigante essa premissa de mulheres adormecidas, quero muito ler e descobrir o que causou isso e se haverá um antídoto.

Reply
avatar
23 de dezembro de 2017 12:30 delete

Oi, tudo bem?

Já conhecia esse livro, mas ainda não tive a chance de ler. Na verdade, não li nenhum livo do autor até agora. Já vi algumas adaptações, e com isso, tenho vontade de ler os livros, mas não consegui. Este está na minha lista e estou querendo ler agora, em 2018.

Beijos.

Reply
avatar
Lucy
AUTHOR
25 de dezembro de 2017 20:28 delete

Oi, Diana!
Eu nunca li nada do King e ainda adquiri alguns livros dele esse ano, para tentar começar. Mas cadê coragem? rsrs Além disso, outros livros da pilha passaram na frente e isso complicou um pouco. Gostei da premissa desse livro, parece um pouco diferente dos demais dele, ainda mais que foi feito com seu filho, parece uma ótima pedida para começar.
Bjs
Lucy - Por essas páginas

Reply
avatar
25 de dezembro de 2017 22:20 delete

Oi, Diana!
Amei sua resenha! King arrasa muito nos livros, né? Essa premissa me deixou intrigada. Mulheres em casulos? Acordam agressivas? O que está acontecendo?? Algo maravilhoso nos livros do autor, são esses questionamentos. Sempre tem uma crítica por trás de seus livros.
Obrigada pela dica!
Beijão!
http://www.lagarota.com.br/
http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

Reply
avatar
Delmara Silva
AUTHOR
26 de dezembro de 2017 09:37 delete

Oi,
eu li apenas um livro do King, era um clássico e eu gostei bastante apesar de não ter achado tudo isso que falam por ai, mas por ser uma história bem antiga acredito que a escrita dele tenha evoluído bastante e por isso quero ler algo mais recente. Adorei sua resenha, este livro já havia me chamado a atenção e agora acredito que ele será minha leitura atual dele.

Abraços!
Nosso Mundo Literário

Reply
avatar
27 de dezembro de 2017 19:19 delete

Oi, Diana!
Nunca li nada do King, e sempre fico curiosa porque ele é super elogiado e sinto que estou perdendo muita coisa! kkkkkk
Já até comprei um livro dele e só estou esperando um momento mais tranquilo para ler, já vi esse livro e acho a premissa muito curiosa e interessante. Como quero conhecer logo o trabalho do autor vou anotar a dica para ler.

Beijos,

Rafa - Fascinada por Histórias

Reply
avatar
Dryh Meira
AUTHOR
28 de dezembro de 2017 21:28 delete

Oiee Diana ^^
Apesar de achar a premissa do livro muito interessante, confesso que tenho preguiça de ler os livros do King, por serem grandes...haha' Sei que, dependendo se a história nos envolve ou não, as páginas praticamente viram sozinhas. Mas tenho medo de não curtir a história e acabar empacando no meio do caminho. Ainda assim, esse é um livro que eu quero ler um dia, e saber que vai virar série me deixou um pouquinho mais curiosa.
MilkMilks ♥
http://shakedepalavras.blogspot.com.br

Reply
avatar
Ana Luz
AUTHOR
16 de janeiro de 2018 14:24 delete

Olá!

Confesso que não gosto dessa capa.
Mas, gostei das suas considerações finais, apesar de fictício, parece ser um livro que nos leva a refletir. Gosto disso nos livros do King, nós é que somos os reais vilões.
Dica anotada!

Beijo!

Reply
avatar