Resenha| A fórmula preferida do professor

15:12 1 Comments A+ a-

Editora Estação Liberdade | Classificação: 5/5 | Ofertas
Um velho professor de matemática, uma empregada doméstica e o seu pequeno filho de dez anos são os três personagens principais de A fórmula preferida do professor, a história trata do personagem nomeado simplesmente como Professor, um velho bastante peculiar que, em função de um problema de memória, vive recluso em casa, dedicando a maior parte do tempo a resolver desafios matemáticos propostos por revistas especializadas.

Por ser um sujeito difícil de lidar, nenhuma empregada contratada para limpar a casa e preparar suas refeições perdura no serviço por muito tempo. Ao conhecer o filho de uma delas, um perspicaz garotinho de dez anos de idade, o Professor irá revelar que, tanto quanto pela matemática, ele também é capaz de nutrir outra paixão incondicional: por crianças. A partir desse curioso encontro de gerações, Raiz – o apelido que o menino ganha do Professor em referência à raiz quadrada – irá absorver não só o amor por contas e equações, como também valores sobre respeito às diferenças, amizade e tolerância.

Em A fórmula preferida do professor, Yoko Ogawa nos apresenta uma história bela e tocante sobre perda, memória e a magia da matemática. A história é contada a partir da visão da empregada, que é contratada para cuidar de um velho professor de Matemática que tem uma memória que dura exatamente 80 minutos. 

“Entre todos os lembretes incompreensíveis, cheios de números, símbolos e palavras desconexas, encontrei um com uma mensagem inteligível. [...] O clipe que o prendia, enferrujado, devia estar ali havia muito tempo. Dizia ele: MINHA MEMÓRIA NÃO VAI ALÉM DE 80 MINUTOS.”
A escrita de Ogawa é muito boa, envolvente, doce e delicada. Ela consegue falar sobre a matemática de forma simples e elegante fazendo com que a leitura seja deliciosa. Outra coisa que podemos inferir da história é o tremendo respeito que os japoneses têm pelos professores, pois todas as vezes em que a palavra Professor aparece ela é escrita com “P” maiúsculo. Aqui, podemos ver o quanto a cultura influencia no modo de tratar pessoas. Além disso, a matemática, por incrível que pareça, é o entre entre os personagens: o Professor, a empregada e Raiz, que é um dos personagens que mais amadurece no decorrer da leitura.

É um livro que recomendo muito a leitura, pois ele merece ser lido por todos que amam uma história comovente.

Foto: Saga Literária

Perfil do blog Porre de Livros. Se gosta de ler, você está no lugar certo. 

Acompanhe-nos em nossas redes sociais: 
Twitter: @_raypereira / Instagram: @PorreDeLivros / Facebook: Porre de Livros

1 Comentários
Comentários

1 comentários:

Write comentários
30 de agosto de 2017 15:37 delete

Adoro esse blog, como é bom acessar e encontrar resenha nova, uau!!!

Gostei muito da resenha, viu?! Deve mesmo ser uma história comovente, como você disse. Sempre bom ler livros que abordem o respeito às diferenças. Como não curto matemática, achei importante que ele conseguiu tratar dessa matéria da maneira mais simples fazendo com que a gente tenha uma boa leitura, ou uma "leitura deliciosa" como você ressaltou.

Parabéns pelo texto e obrigado pela dica! Ray, Jadson e Diana, eu adoro o trabalho de voces!!!!

Um abraço, Dieison, do RS.

Reply
avatar