Resenha| A Promessa, de Harlan Coben

09:46 7 Comments A+ a-


Myron Bolitar tinha tudo para ser o maior astro do basquete de todos os tempos, mas ficou só no quase, devido a um acidente que acabou transformando-o numa lenda viva. Abriu uma empresa de representações esportivas, a MB, e hoje conta com a sua sócia Esperanza para assessorar astros e atores em ascensão ou jogados ao ostracismo. Ás vezes, ele também destina parte do seu precioso tempo para bancar o detetive particular (e profissional) ao lado do seu melhor amigo, megalomaníaco e sociopata, Win. E pior, ou melhor, ele é muito bom nisso.

Myron é o tipo bom moço, que sempre achou que uma vida não se sobrepõe a outra, mas acabou aprendendo que em certas ocasiões é preciso quebrar as regras e ir até o fim para proteger aqueles que amamos. É isso o que acontece quando acidentalmente escuta a conversa de duas adolescentes no porão da sua casa. Aimee Biel é filha de Claire, sua amiga de infância, e Erin, filha da sua namorada chamada Ali. A conversa é basicamente sobre algum dos seus amigos ter dirigido após uma festinha regada a muito álcool. Preocupado, Myron assume uma promessa da qual irá se lembrar pelos próximos dias. Dias de caos. Alguns dias depois, às duas horas da madrugada, ele recebe um telefonema. Uma Aimee nervosa pede a sua ajuda. Precisa ir até a casa de uma amiga e aparentemente não pretende falar nada a respeito do que possa ter acontecido. Sem questionamentos, essa era a regra. Myron não fazia ideia de que Aimee não voltaria para casa. Ele não fazia ideia de que meses antes, outra adolescente que estudava na mesma escola havia desaparecido em circunstâncias suspeitas e que os desaparecimentos aparentemente tinham algo em comum: as duas garotas haviam feito saques em um mesmo banco antes de serem vistas pela última vez.


"- Não. Nós salvamos quem podemos. Salvamos quem está com problemas. Salvamos quem pede e precisa de nossa ajuda. Repito: nós não salvamos quem faz escolhas com as quais não concordamos. Escolhas ruins fazem parte da vida."

Suspeito número um, Myron se vê obrigado a entrar de cabeça numa busca implacável para encontrar Aimee e provar a sua inocência. Mas nada é tão fácil e inocente quanto parece, e uma avalanche de informações, relacionamentos abusivos e injustiças começam a dar forma a um quebra-cabeças que pode mudar para sempre a vida de muitas pessoas.

A promessa é o oitavo livro da série Myron Bolitar, composta por onze livros, dos quais dez foram traduzidos e publicados pela Editora Arqueiro. Mas o que pode parecer desanimador, vem seguido de uma boa notícia: os livros da série são independentes. A série segue uma sequência cronológica, mas que não está intimamente interligada. É possível que você se depare com alguma referência de um livro anterior, mas nunca é nada que influência ou atrapalha a leitura. Infelizmente, não acompanho a série desde o primeiro livro, mas isso não me impediu de desenvolver um amor quase que incondicional pela maravilhosa dupla: Myron e Win. Eles são perfeitos juntos e possuem um sincronismo quase cirúrgico. O humor ácido de Win e o vasto repertório de piadas sem graça de Myron parecem se encaixar perfeitamente, tornando o leitor parte da relação.

A narrativa em terceira pessoa é fluída e os diálogos bem construídos. Esperanza e Big Cindy (uma funcionária da MB com destaque em livros anteriores) não chegam a ter um papel importante na trama, mas junto com Zorra (um travesti sanguinário que ajuda nas investigações) abrilhantam e garantem uma participação especial no desenrolar da história.

O autor traz uma reflexão importante sobre até que ponto chegamos para proteger aqueles que amamos e até onde estamos dispostos a "sujar as mãos" para salvar as suas peles ou garantir um futuro melhor. Não é como chegar e justificar uma atitude criminosa, não é isso. Não é dizer para o leitor que tudo bem cometer um crime se for por amor ou superproteção. É mostrar que todos temos um preço, uma motivação e que em determinadas situações podemos agir por impulso e acabar fazendo coisas erradas e, embora isso não seja normal, é bastante comum. Sempre acabo a leitura pensando que, mesmo seja uma história ficcional, poderia perfeitamente acontecer na vida real e isso é assustador.

Se tem uma coisa que o Harlan Coben faz bem é desconstruir tudo o que pensamos ter descoberto nas últimas páginas. Seus desfechos são conhecidos por desafiar toda e qualquer conspiração, sem quebrar a lógica. Suspense, emoção e humor na dose certa para evitar um infarto. A Promessa é uma boa pedida em qualquer ocasião, para os amantes ou não do gênero. 
Foto: @minhadesordemperfeita

Pisciana, 2.6, humor de 60, dramática, apaixonada por livros e animais.

Instagram: @deebritoo

7 Comentários
Comentários

7 comentários

Write comentários
23 de julho de 2017 19:47 delete

Oi Diana,
Há pouco tive o meu primeiro contato com a escrita do Harlan Coben com o livro A Grande Ilusão. Gostei muito do autor e aprendi a respeitá-lo já que antes rolava uma desconfiança por minha parte. Não é meu autor favorito do momento, mas pretendo ler outros livros dele e conhecer melhor. Gostei muito da sua resenha e me interessei por A Promessa, pois parece ser muito bom! Desanimei um pouco por se tratar de uma série muito grande, mas vou tentar ler o primeiro livro e ver no que dá!
Beijos
Blog Relicário de Papel

Reply
avatar
24 de julho de 2017 12:00 delete

Oi Diana,
Nunca li nada do autor, mas tenho interesse. Quero ler a série do Myron na ordem, porque já me falaram que apesar de serem independente uma coisa e outra sobre o protagonista é relevante em alguns livros. E pelo visto o livro trás um questionamento bem relevante que é o que somos capazes de fazer por quem amos.
Quando você escreveu "humor na dose certa para evitar um infarto", tive que rir. Realmente algumas tramas são tão densas que começa a afetar nosso coração, que bom que o autor dá uma tranquilizante para seus leitores. rsrsrsrs

Bjs,
Garotas de Papel

Reply
avatar
26 de julho de 2017 21:33 delete

Oi, Diana! Desde que eu li O Chamado do Cuco que fiquei super interessada em livros de mistério e esse me parece ser mais um dos bons. Vou adicioná-lo a minha lista e fazer mais pesquisas, pretendo lê-lo com certeza. Beijos!

Reply
avatar
27 de julho de 2017 08:24 delete

Mas a série não interfere, você pode lê-lo sem ler os anteriores

Reply
avatar
Ivi Campos
AUTHOR
27 de julho de 2017 11:18 delete

Nunca li nada do Harlan Coben e me sinto morando embaixo de uma imensa e pesada pedra, por ainda não poder opinar sobre seus livros com alguma propriedade. São tantos elogios e tantos admiradores que a sensação de estar perdendo alguma coisa importante é muito forte. Adorei sua resenha e anotei a dica e espero que em breve eu possa sair da caverna da ignorância e poder ler alguma coisa deste autor tão amado e elogiado.
MEU AMOR PELOS LIVROS
Beijos

Reply
avatar
Livros & Tal
AUTHOR
4 de agosto de 2017 14:47 delete

Oie
Ai gente o titio Harlan escreve mais livro que o Nicholas Sparks se bobiar hahaha
Amo livros de romance policial, mas ainda não tive a oportunidade de ler nenhum dos livros dele ainda, acredito que esse pode ser uma boa pedida já que gostei bastante da premissa*-*

beijos

Reply
avatar
11 de agosto de 2017 14:59 delete

Olá!
Romances policiais não são meu forte, e nunca li nada do Harlan. Seria, com certeza, uma leitura que eu faria, mas não por agora, estou na vide de romances bem água com açúcar haha.
A escrita dele parece surpreender à quase todos, pelos comentários que já li.

Adorei o post e o blog.
Beijão!
https://bloggmundodoslivros.blogspot.com.br/

Reply
avatar