Resenha| O mundo da mulher-maravilha

11:30 0 Comments A+ a-

[ Editora Pixel | Classificação: 5/5 | Ofertas ]
Neste HQ publicado pela Editora Pixel, vamos conhecer um pouco sobre o mundo de Diana, a rainha de uma tribo de mulheres esquecidas chamada Amazonas. Segundo a personagem, essa história em quadrinho é uma forma de ela apresentar quem realmente é para nós.

Nascida em Themyscira e filha única da rainha Hipólita, ela creditava que nasceu do barro, mas descobriu que isso foi uma mentira contada por sua mãe para protegê-la. A verdadeira história é que ela é filha de Zeus. Diana, uma guerreira destemida, percebeu que aquela ilha era muito pequena para ela ser a Mulher-Maravilha. Então, com uma "pequena" ajuda de Atena, ela sai de Themyscira e vai para os Estados Unidos. Lá, enfrentando diversos parademônios, deuses e meta-humanos, ela fez amigos e, juntos, criam a Liga da Justiça. Hoje, ela é conhecida como Deusa da Guerra, devido ao treinamento com Ares, o verdadeiro Deus da Guerra. Justa e corajosa, Diana de Themyscira só quer disseminar a justiça e combater o mal. 

Como todos já devem ter visto, o filme solo da Mulher-Maravilha será lançado. Apesar disso, pouca gente conhece de fato a história dessa heroína. Afinal, me digam quando as mulheres realmente ganharam os holofotes nos cinemas? Afinal, nem todo mundo tem acesso aos HQs desses heróis. Nesse HQ, vemos uma Diana humana que preza pela justiça, que ama, que tem desafetos e se esforça para ser uma pessoa boa e uma heroína incrível. Além disso, ela é empoderada e feminista, mas não exclui os homens, visto que na Liga da Justiça ela tem companheiros do sexo oposto. Como a personagem diz, ela não quer defender só mulheres, ela quer representá-las e mostrar que a história de que a "mulher é sexo frágil" é falácia, mostrando-nos que ela preza pelo igualitarismo de gênero. Só me pergunto como demoraram tanto tempo para fazer um filme solo e, consequentemente, mostrar em detalhes essa heroína para o mundo. 

Aqui, não iremos só conhecer a história da personagem, mas vamos saber detalhes sobre, por exemplo, suas roupas, armas, trajes de guerra, seus poderes, como ela se tornou uma guerreira hábil e, até mesmo, como ela vê os amigos que lutam ao seu lado na Liga da Justiça. Iremos conhecer também um pouco de sua família, do drama enfrentado quando criança, da vontade de ser independente e mostrar a todos que, apesar de ser uma deusa, ela conseguiu muitas coisa por mérito e não por ser filha de Zeus. Definitivamente, todo mundo não só deve ler esse HQ como também assistir ao filme e ter a noção do quão completa é Diana, a Mulher-Maravilha. 

"Tenho orgulho de servir na Liga da Justiça e tenho orgulho de ser uma deusa que luta ativamente para mudar o que se entende por conflito. Tenho orgulho de ser Diana de Themyscira, uma Amazona, e a filha da rainha Hipólita. Tenho orgulho de ser a Mulher Maravilha."
Sabe o que é o melhor dessa edição da Pixel? É a forma como a personagem é apresentada. Ou seja, até crianças conseguem ler, entender e virar fãs da heroína. Com certeza, é uma leitura para todo o público e detalhe: nos mostra um lado pouco conhecido e humano da personagem de maneira simples e corriqueira.

Pernambucano, blogueiro e bailarino nas horas vagas. Para ficar mais próximos dos livros, escolheu ser revisor textual. Instagram/Twitter: @Jadsongomees

0 Comentários
Comentários