Resenha| A sétima cela, de Kerry Drewery

12:05 17 Comments A+ a-

Distopia,  Literatura Estrangeira | Editora Astral Cultural | Classificação: 5/5 | Ofertas
Em um tempo não muito distante, onde pequenos grupos sociais exercem deliberadamente seu poder e influência, um novo sistema de governo é adotado. Com os altos índices da criminalidade na Inglaterra, a única solução vista pelos governantes é exterminar toda e qualquer prática criminosa através da pena de morte. Não fosse suficientemente severo, o sistema permite aos cidadãos exercerem a democracia através de uma votação que decide, sem nenhum critério ou embasamento, se o criminoso em questão é culpado ou inocente. As pessoas têm 7 dias para votar através do telefone, internet ou mensagem de texto se desejam que o preso enfrente a cadeira elétrica ou seja absolvido do crime que praticou, mas apenas uma parcela da população consegue ter acesso a essa democracia, já que os valores cobrados para votar são praticamente inacessíveis à grande maioria. Essa é a realidade dos moradores dos Arranha-céus, parte pobre da sociedade a qual Martha Heneydew faz parte.

"Quem tem o poder faz o que quiser. Um pessoa precisa conquistar o poder de forma legítima, mas a maneira como ela o mantém, o aumenta ou o exerce... aí é que está o problema."

Encontrada ao lado do corpo de Jackson Paige, celebridade adorada em todo país, com a arma do crime na mão e após confessar a autoria do crime, Martha é encaminhada para a prisão onde será acompanhada 24 horas por dia pelas câmeras do Programa de TV "Morte é Justiça" e julgada pelas pessoas por um crime de repercussão nacional. O processo consiste em passar cada um dos 7 dias em uma cela diferente, até o dia da temida e esperada votação. De um lado, a mídia influencia o povo a fazer "justiça", do outro a psicóloga Eve Stanton, o sr. Cícero (ex-juiz), a senhora B. e o filho adotivo de Jackson, Isaac Paige, parecem acreditar na inocência de Martha.

Quando as peças do misterioso quebra-cabeças vão sendo encaixadas e a relação entre Martha e Isaac se torna um fator determinante para a solução do crime, as coisas começam a tomar um rumo diferente. A pergunta é: existe tempo hábil para convencer as pessoas a acreditarem em uma coisa totalmente diferente do que o que elas viram com os seus próprios olhos?

"Às vezes... - sussurra Martha - não fazer nada é uma maneira de fazer algo muito grande, na realidade. Você é uma engrenagem em uma máquina, aceitando tudo que acontece porque todas as outras engrenagens estão fazendo a mesma coisa, e ir contra toda essa estrutura é difícil demais."

A sétima cela é o primeiro livro da trilogia "A cela" e ainda não tem data prevista para o lançamento dos próximos volumes. A história é uma distopia e, para quem não está familiarizado com o gênero ~tipo eu~, distopia se refere, por mais óbvio que pareça, ao inverso da utopia, que é uma ideia de sociedade perfeita, onde impera um estado ideal regido por um sistema perfeito. Distopia, então, está ligada a sistemas totalitários e tiranos, onde só uma parcela do povo tem o domínio das leis que regem a sociedade. É exatamente isso que nos espera durante as 316 páginas do livro. Nada mais é do que uma dura e profunda crítica à tecnologia e à influência midiática na vida das pessoas, só que numa escala muito maior do que hoje podemos conceber, e é de onde podemos tirar os seguintes questionamentos: até que ponto é cabível a intervenção do Estado para que se possa fazer justiça?, toda forma de justiça e punição são válidas?, podemos acreditar em tudo que vemos na televisão?, as pessoas têm o direito de decidir sobre a vida de outras, ainda que sejam criminosos? Que fique claro que eu não tenho posicionamento fixo sobre pena de morte, acredito que tudo tem que ser analisado por dois vieses. Se por um lado você ou algum parente seu é vítima de um crime, você pode achar justo que exista pena de morte. Mas e se o criminoso fosse você ou um parente seu, você ainda teria esse posicionamento? Cabe aqui essa reflexão.

Um ponto importante de destacar é que: fãs de Black Mirror vão A-M-A-R esse livro! Se você não conhece a série, vale a pena conferir na Netflix. A série traz situações fictícias de possíveis e inesperadas consequências da tecnologia nas nossas vidas. Acredito que a comparação aqui é super válida porque, em diversas passagens do livro, eu lembrei de episódios da série.

O livro foi recebido em cortesia pela Editora Astral Cultural e eu preciso falar que: Nunca recebi um kit tão legal como esse. Junto com o livro vieram oito bottons, um para cada dia/ cela que Martha ficará na prisão e um com o slogan do programa de TV Morte é Justiça, dois ingressos para assistir a execução da acusada (SIM, ingressos!!!) e uma carta secreta que faz referência a uma passagem do livro. A narrativa é feita em primeira pessoa por Martha e em terceira pessoa por outros personagens. intercalando presente e passado, o que faz com que o leitor aos poucos consiga entender melhor a história e ligar os fatos.

Os personagens são muito bem construídos e com personalidades bem distintas. Você consegue se identificar com eles na medida em que os fatos vão sendo esclarecidos. Gostei muito da personagem da Eve, que tem um papel muito marcante na trama. Se existe um personagem me fez sentir mais ódio nessa vida, essa personagem foi a Kristina, a apresentadora do programa. Ela é fútil, egoísta e altamente manipuladora, espero que até o final da trilogia eu tenha o prazer de ler uma passagem dela na cadeira elétrica.

Foi uma leitura que me surpreendeu bastante, não no sentido de final inesperado, nada disso, mas a forma como a autora conduziu a história e conseguiu chamar a atenção do leitor para assuntos muito polêmicos dentro de um enredo eletrizante que superou minhas expectativas. 

Pisciana, 2.6, humor de 60, dramática, apaixonada por livros e animais.

Instagram: @deebritoo

17 Comentários
Comentários

17 comentários

Write comentários
10 de fevereiro de 2017 21:22 delete

Oi, Diana!
Gostei da construção da sua resenha.
Já tinha visto esse livro por aí, mas não tinha parado para ler a sinopse nem nada, apesar de ter gostado da capa. Adoro distopias, então fiquei bem curiosa. Distopia e um suspense, uma bela combinação!
Ah! Essa situação de 24 horas de vigia, me lembra "1984".
Obrigada pela dica!
Beijão!
http://www.lagarota.com.br/
http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

Reply
avatar
F
AUTHOR
10 de fevereiro de 2017 22:37 delete

Ola
Eu amo distopias e nao sei como ainda nao tinha lido nada a respeito dessa obra. Fiquei bem curiosa diante da premissa e gostaria de poder ler. Os elementos que você comentou me deixaram bem curiosa e adorei poder conferir suas impressões a respeito.
beijos, Fer

Reply
avatar
12 de fevereiro de 2017 00:05 delete

Olá tudo bem?
Essa é a primeira vez que ouço falar do livro, mas estou bastante surpreso e impressionado. Tanto a premissa quanto o enredo, este principalmente, me chamaram a atenção. Gosto bastante de distopias, mas ultimamente todas parecem iguais. Então claro que gostei dessa.
Sua resenha também está muito boa e os elementos que você destacou, a familiaridade com a série e a boa condução da autora, também pesaram para mim.
Bjs,

http://esquadrao-literario.blogspot.com.br

Reply
avatar
Ivi Campos
AUTHOR
12 de fevereiro de 2017 10:14 delete

Faz um tempão que não leio uma boa distopia e acho que essa indicação aqui ira me agradar bastante. A capa está linda e a premissa é instigante. Adorei a dica.
Meu Amor Pelos Livros
Beijos

Reply
avatar
Luisa Aranha
AUTHOR
12 de fevereiro de 2017 14:27 delete

Não sou muito fã de distopias, passo a dica. Mas não conhecia seu blog e gostei bastante do estilo! Parabéns!
bjos
www.causoseprosas.com.br

Reply
avatar
12 de fevereiro de 2017 23:09 delete

Opa! Fã de Black Mirror presente! hahah Esse livro tem uma premissa incrível e se já estava interessada na leitura, fiquei ainda mais depois da sua resenha :D E bom saber que os personagens são bem construídos. É algo que prezo muito em uma leitura. Parabéns pelo ótimo post.
Beijos!

Reply
avatar
13 de fevereiro de 2017 11:45 delete

Oi, Fer! Que bom que tenha gostado da leitura, espero que ao ler, você volte aqui e me diga o que achou! :)

Reply
avatar
13 de fevereiro de 2017 11:48 delete

Oi, Luisa, obrigado! E sobre distopias: da uma chance, pode ser uma boa leitura, hahaha.

Reply
avatar
13 de fevereiro de 2017 16:18 delete

Olá!
Eu ainda não conhecia esse livro, mas achei muito interessante principalmente por causa dessa comparação com Black Mirror que você fez, já que adoro a série! Achei muito legal eles mandarem esse kit super criativo, parece ter sido bem legal!
Beijos.

Reply
avatar
Taisa F.D.
AUTHOR
15 de fevereiro de 2017 16:36 delete

Olá!
Não conhecia o livro, mas fiquei super curiosa para saber o restante da história depois de ler a sua resenha.
Ah! Essa capa é maravilhosa! Amei!
Obrigada pela dica. Está anotada!
Bjs

Reply
avatar
15 de fevereiro de 2017 18:31 delete

Nossa, que capa linda!!
Amo distopias e só por essa capa, o livro já me chamou a atenção...
A ideia de crítica à tecnologia e à influência da mídia me pareceram muito interessantes, pois é um assunto super importante a ser discutido... Inclusive, seus questionamentos são muito pertinentes a essas discussões.
Comecei a assistir Black Mirror essa semana, e também vi uma relação entre o enredo do livro e a série.
Também adoro quando recebemos esses mimos das editoras, pois demonstra uma atenção e cuidado bem maior com seus parceiros.
Dica super anotada!
Um beijo!!

www.asmeninasqueleemlivros.com

Reply
avatar
Brooke S.
AUTHOR
15 de fevereiro de 2017 18:45 delete

Olha, eu preciso dizer que meu Deus! EU já fiquei completamente fascinada por essa distopia que mostra uma sociedade que lida com um poder sem restrições e o faz através de votação pelo celular, como se decidir sobre a vida de alguém fosse igual a votar em alguém para sair em um reality show! Realmente interessante e apesar de não ter visto Black Mirror acredito que irei gostar bastante dessa obra, mal posso esperar! Só acho que vou esperar a série ser lançada para ler, não gosto de sofrer por continuações não lançadas!
Um beijo
http://www.brookebells.com

Reply
avatar
16 de fevereiro de 2017 14:51 delete

Olá, sou um louco apaixonado por distopias, e esta me parece ser bastante interessante. Me encantei por este enredo, pelo governo tirano e tudo que os personagens terão que enfrentar. A critica mostrada a tecnologia, é crucial no tempo que estamos, afinal se deixarmos, muitas das distopias se tornaram realidade.

Reply
avatar
18 de fevereiro de 2017 00:55 delete

Oiii tudo bem?
Adoro livros que superam nossas expectavas. Andei lendo muita distopia, e fiquei bastante cansada do tema. Mas apesar de tudo, tenho este na estante hauahuahuaa e ainda irei ler.
Valeu pela dica
Bju Rafa

Reply
avatar
18 de fevereiro de 2017 12:55 delete

Oi.

Não conhecia este livro, mas pelo o que você falou dele, deve ser uma leitura muito boa. Não posso saber do que você está falando quando se refere a Black Mirror, ainda não assisti a nenhum episódio. Mas vou dar uma chance ao livro e também a série.

Reply
avatar
Nayara Borges
AUTHOR
20 de fevereiro de 2017 22:16 delete

Olá!
Eu sou totalmente suspeita para comentar sobre distopias, é um dos meus gêneros preferidos, então é lógico que eu fiquei mega interessada por esse livro. Eu ainda não vi a série Black Mirror, mas sei que ela é muito elogiada e eu também quero muito assistir. Se lembra essa série, que faz tanto sucesso, então o livro também deve ser maravilhoso. Lógico que vai para minha lista.
Beijos,
Nay
Traveling Between Pages

Reply
avatar
23 de fevereiro de 2017 13:08 delete

Oi, tudo bem?
Fiquei muito curiosa com esse livro, gostei do enredo e de ver que é uma obra eletrizante que prende a atenção do leitor; Com certeza irei atrás dele logo que tiver uma oportunidade. ótima resenha!

Beijos

http://www.oteoremadaleitura.com/

Reply
avatar