Diário de Bordo + Resenha| Logan

18:10 0 Comments A+ a-


Meu domingo (19), não foi comum, muito pelo contrário, tive o imenso prazer de ser convidada não só para a cabine de imprensa de Logan, o último filme da franquia Wolverine, como também para a coletiva de imprensa com o Hugh Jackman. Agora, veja bem, eu sou uma pessoa normal, e pessoas normais são piradas no Wolverine, certo? SIM! Wolverine, assim como Hell Boy, figura na minha lista de melhores "super-heróis", então vocês devem imaginar o quanto fiquei feliz pelo convite. Assistir  em primeira mão ao filme que encerra essa história foi de tirar o fôlego, mas vamos por partes. A cabine de imprensa aconteceu no Cinépolis do JK, às 8h. Logo na entrada do cinema, tinha uma "filinha" muito rápida para recebimento de pulseiras e credenciais, depois era só correr para o abraço!



Antes da entrada da sala onde ocorreria a sessão, os convidados desfrutavam de um cooffe break e de vários pôsteres para tirar foto e gravar vídeo. Como cheguei um pouco atrasada, corri direto para a sala de cinema e só deu tempo de tirar uma fotinho mostrando minha cara de felicidade de estar ali. Na sala, a assessora da Fox deu algumas instruções sobre como proceder na coletiva de imprensa, que seria logo após o filme. Terminados todos os tramites de praxe, o filme começou, e que filme, meus amigos.

Resenha| Logan:

Wolverine não é mais Wolverine. Após 25 anos sem nascer um mutante e com todos os outros mortos, Logan está perdido entre a falha no seu processo de cura, cuidar do Dr. Xavier e tentar juntar dinheiro para comprar um barco, onde ele acha que pode finalmente desfrutar de um pouco de paz. Mas se paz é o que ele quer, ele precisa rever suas prioridades, pois o dr. Xavier o convoca para uma última missão: salvar uma mutante criança, Laura, da perseguição que ela tem sofrido. Entretanto, essa última missão pode tirar tudo que resta para ele, e vai exigir muito mais sacrifícios do que Logan parece disposto a sacrificar.

Gente-do-céu, eu não estou preparada emocionalmente para dar adeus ao Hugh Jackman como Wolverine, mas, se é para concluir essa franquia, que seja com Logan. Nunca fui fã de X-Men, mas por ironia, Wolverine foi meu primeiro contato bem sucedido com "super-herói". Assisti a todos os filmes lançados nos últimos 17 anos e posso afirmar com toda a certeza de que esse último filme foi um dos melhores. Wolverine se mostra muito abalado, cansado e esgotado de toda uma vida como mutante, e tenho que tirar o chapéu para Hugh Jackman, pois sua atuação é brilhante de uma forma quase que assustadora. Em alguns momentos do filme, me questionei se toda aquela exaustão do personagem não era uma vazão dos sentimentos do próprio Hugh com relação à franquia. Não me entenda mal, por favor, pois mesmo com toda essa exaustão Jackman domina o filme, e mesmo quando ele não domina, dando espaço para a nova personagem, Laura, ele faz com maestria, sem se deixar ser esquecido ou escanteado. Por falar em Laura, vamos falar desse personagem maravilhoso. Essa menina... não consigo colocar em palavras sua atuação de tirar o chapéu. Mesmo muda em quase 80% do filme, suas expressões são tão claras e bem feitas que dispensa qualquer adicional, o que é algo muito raro no cinema de massa na atualidade. Está aí uma atriz para se manter o olho bem atento.

Saindo um pouco dos personagens e indo para o enredo, preciso dizer que para quem gosta de X-Men, Logan é quase que indispensável. Não vou dar spoilers nessa resenha, mas vamos apenas dizer que a história dea extinção dos X-Men nos quadrinhos foi mudada um pouco, ou deveria dizer muito? Porém, se, assim como eu, você não assistiu X-Men, não vai ficar perdido, pois no transcorrer do filme todas as informações necessárias para se situar são passadas de forma bem resumida e bem explicada. O que só pode ser mais um adicional para o filme. O roteiro não fica devendo em nada para as incríveis atuações que o filme tem.

Terminar a franquia Wolverine, com certeza fechou um capítulo na minha vida, fechou um ciclo. As cenas finais de Logan parecem imprimir os sentimentos das pessoas que têm acompanhado essa série por tantos anos. E por mais que seja triste, aos sair da sala de cinema, Logan já deixa uma nostalgia que nunca vai passar. Não tem como não amar o personagem, não tem como não amar Wolverine, não tem como não se envolver com o enredo dessa última e=história, mas principalmente não tem como não chorar. Que filme, meus amigos, que filme. Corram no cinema para ver! 

Depois de chorar horrores na sessão de Logan, FINALMENTE partiríamos para o Hotel Grand Hyatt, onde Jackman estava hospedado. O transfer do cinema até o local da conferência foi feito pela equipe Fox/Agência Febre e foi tudo maravilhoso. Muito bem organizado, nada de tumulto, nem dificuldades. Chegando no hote,l apenas os credenciados ou pessoas com a pulseirinha poderiam entrar, tudo foi rigorosamente fiscalizado. Depois da pausa para o almoço, onde encontrei o Danilo Gentili que também estava lá para a conferência, era hora de entrar na sala.

Por sorte, peguei um lugar na quarta fileira, o que foi um achado, e a pessoa que sentou do meu lado foi tão maravilhoso que além de ficar batendo o maior papo comigo, ainda me deu a plaquinha que tinha ganhado para fazer uma pergunta ao Jackman. Pena que não chegou no meu número, mas o que vale é a intenção. A conferência foi muito tranquila e abordou basicamente aspectos do filme Logan e da franquia Wolverine. Hugh Jackman, apesar de cansado, se mostrou a simpatia em pessoa, sempre escutando e respondendo as perguntas com total atenção. Tanto que ele chegou a brincar que fala muito e por isso nunca dá tempo de responder a todas as plaquinhas que são entregues.

A fatídica plaquinha da pergunta que não deu pra ele responder
O final da conferência foi de quebrar o coração para mim, pois não tinha feito minha pergunta e não consegui exclusiva com ele, mas o que posso dizer é que, apesar disso, só ter visto ele tão de perto e ter visto o quão simples ele é, me deu uma "aquecidazinha" no coração. E claro, ele vai comer rapadura, que ganhou de um dos representantes de veículo que estava lá. A alegria dele ao ver aquele doce, me fez sentir alegre. A nostalgia permanece em meu coração com a frase dele: "Logan é meu último suspiro como Wolverine."



Logan estreia em todo o Brasil no dia 2 de março. Não esqueçam da pipoca, pois é um "baita" de um filme.

Jornalista, taurina, viciada em livros, filmes, seriado e em conhecer novos lugares. Adora estudar inglês e acha que essa deveria ter sido sua língua mãe.

0 Comentários
Comentários