Resenha| O android, de Paulo de Castro

11:37 10 Comments A+ a-

Ficção cientifica, Literatura nacional | Editora Novo Século | Classificação: 5/5 | Ofertas
Em O android, do autor nacional Paulo de Castro, conhecemos um mundo habitado somente por robôs. Num mundo pós-apocalíptico, as máquinas se voltaram contra os humanos. Na época, um vírus entrou no sistema de vários robôs que estavam conectados à internet. Esse vírus habilitou que robôs matassem humanos. A partir daí, tudo virou um caos. Os humanos foram dizimados e só restou o regime totalitário comandado por H1N1. Na época, alguns robôs não tinham acesso à internet ou não atualizaram os sistemas, dessa forma não foram infectados com o vírus. No entanto, esses robôs foram caçados e destruídos. Afinal, quem não concordava com a ideologia do H1N1, deveria ser desligado para sempre.

"MATAR SERES HUMANOS: AUTORIZADO."

Nem todos os robôs sem vírus foram desligados. Entre alguns poucos, conhecemos o JPC-7938. Ele foi construído em 2119 e tinha a função de ser cirurgião. Após salvar o OPR-4503, que também não é infectado, ele, por ser um cirurgião e conhecer um pouco sobre seres humanos, decide “reviver” os humanos, pois soube que OPR-4503 sabia onde encontrar material genético humano. Porém, para conseguir chegar até os materiais genéticos, os dois androids deverão sair da segurança de seus esconderijos e ir explorar o mundo governado por H1N1. E isso não será nada fácil, pois sentinelas estarão à espreita sempre. Juntos, eles conhecerão NCL-6062, uma antiga robô prostituta, que, após muita insistência, decide ajudá-los a trazer a humanidade de volta. Porém, quando H1N1 desconfia da "missão" desses 3 robôs, as coisas ficarão bem mais complicadas do que eles imaginavam. 

"- O que eu quero é dar mais uma oportunidade aos humanos. Este mundo pertence a eles. Foi criado para eles. Só tem sentido existir para eles. A nossa própria existência fica vazia e sem sentido sem os humanos conosco."

O android é um livro de ficção cientifica nacional. Eu gosto bastante do gênero, porém nunca tinha lido um nacional de sci-fi. Posso dizer que me surpreendi. Eu estava com um pouco de receio em lê-lo, mas, se soubesse que a leitura seria tão prazerosa, teria lido antes. O autor tem uma escrita, digamos, poética e muito, mais muito literária. Falo isso pois tem autores que escrevem mal pra caramba. No início, até achei estranho, pois já imagina termos técnicos, uma leitura mais densa. Porém, não foi assim. O autor escreve muito bem e de maneira bastante clara. Ou seja, nada de desculpas em relação a linguagem que será abordada no livro. Só digo uma coisa: não tenham medo e se joguem. Vocês podem se surpreender.

Outro ponto bastante positivo é o fato de conter flashbacks no decorrer da leitura. A primeira impressão é de que a história parece confusa, mas não é. Essas "voltas no tempo" explica muita coisa do presente. Além do mais, isso garante que o leitor entenda muito mais sobre o passado dos humanoides e sobre a atual situação e os motivos pelos quais eles desejam a volta dos humanos.

Pode até parecer estranho, afinal os nomes dos personagens são números e letras. Até confunde no início. Mas isso é só no começo e nas primeiras impressões. Os personagens são bem construídos e, o melhor de tudo, são bem marcantes durante a leitura, ou seja, você não vai se perder e, assim como eu, vai acabar internalizando os nomes a ponto de não fazer uma confusão. O divertido do livro em relação aos personagens é entender os dilemas enfrentados por eles: o desejo de ter os humanos de volta, o ato de ter vontade própria e não concordar com um governo que impõe algo, além de saber definir o que é certo e o que é errado. Eles são quase humanos, sério.

Com certeza, esse livro é um "prato cheio" para quem curte uma boa história de sci-fi e para quem quer se aventurar no gênero. É uma leitura fácil, agradável, com uma boa escrita e uma história, digamos, original. 

Pernambucano, blogueiro e bailarino nas horas vagas. Para ficar mais próximos dos livros, escolheu ser revisor textual. Instagram/Twitter: @Jadsongomees

10 Comentários
Comentários

10 comentários

Write comentários
- fecprates
AUTHOR
26 de setembro de 2016 12:29 delete

Olá
Adorei poder conferir suas impressões, especialmente por ser de um livro que eu já li e por ter gostado tanto. Amo o gênero então é mesmo um prato cheio para os admiradores do sci-fi. Os nomes me confundiram sim, mas acostuma rs
E claro, nao posso deixar de afirmar que adorei sua resenha.. Boas leituras!
Beijos, Fer
www.segredosemlivros.com

Reply
avatar
Isabella
AUTHOR
26 de setembro de 2016 20:44 delete

Oii!
Que história original! Até hoje foram poucos os meus livros lidos com essa pegada, fiquei animada pra ler!
Esse tema futurista e de luta contra o governo me lembrou um pouquinho Fahrenheit 451, apesar das causas de protesto serem bem diferentes...
Ótima resenha! Beijos, Isa
belacultblog.wordpress.com

Reply
avatar
27 de setembro de 2016 02:12 delete

Oi Jadson!
Eu já vi algumas resenhas sobre esse livro e por enquanto se tornou um dos poucos que tenho vontade de ler do gênero sci-fi. Gosto demais desse lance que envolve robôs e humanos e da "briga" de quem vai comandar quem.
Além de adorar histórias que criticam algo da nossa sociedade e que envolvam um pouco de política.
É bem interessante também ser nacional. Eu pelo menos não estou acostumada a ver muitos livros brasileiros desse gênero.
Me lembrou um pouco do livro/filme "Eu, Robô" - que eu adoro, por sinal. Já está anotado para comprar.
Bjss

http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

Reply
avatar
Cia do Leitor
AUTHOR
27 de setembro de 2016 03:01 delete

Pelo que deu a entender, esses dois androides tem emoção, Ou foi impressão minha?
De alguma forma me lembrou um pouco o filme AI, Inteligência Artificial, com uma pitada de Eu robô e doses cavalares de Matrix. ^^
Gostei!
Já tinha visto a capa deste livro em promoções da Saraiva, mas, nunca tinha dado a merecida atenção. Mas, sua resenha fez bem esse papel. Parabéns.
Ni
Cia do Leitor

Reply
avatar
Ivi Campos
AUTHOR
27 de setembro de 2016 07:41 delete

Não sou uma leitura assidua de Sci-fi, mas a premissa dest elivro aqui me deixou bem empolgada, até porque essa coisa dos nomes de letras e números, vai fazer minha cachola funcionar... rs
Quero ler!!!
MEU AMOR PELOS LIVROS
Beijos

Reply
avatar
27 de setembro de 2016 18:37 delete

Não li, ainda, nenhum livro Sci-ci e através da sua resenha descobri que esse é bem interessante. No decorrer da leitura fiquei imaginando como seria o mundo habitado apenas por máquinas.
A premissa me deixou curiosa pelo desfecho da história.
Abraço!

http://contosdacabana.blogspot.com.br/

Reply
avatar
27 de setembro de 2016 20:24 delete

Oi, tudo bem? Infelizmente não sou tão fã do gênero. Porém, confesso que a premissa é agradável e diferente, além de ficar contente de ser escrito por um autor nacional, pois realmente não encontramos muitos livros nacionais no gênero. Por enquanto passo a dica, mas vou anotar e quem sabe conferir mais pra frente. Beijos.

Reply
avatar
Michele Lopez
AUTHOR
28 de setembro de 2016 10:14 delete

Olá,
Fico muito feliz que tenha se surpreendido com a obra.
Também gosto bastante de ficção e ainda não tive a oportunidade de conferir nenhuma obra do gênero que seja nacional.
Estou bastante curiosa em relação a obra e se os três robôs irão conseguir cumprir seu objetivo de reviver os humanos e quais serão os empecilhos que terão que enfrentar.

http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

Reply
avatar
28 de setembro de 2016 11:00 delete

Olá Jadson,
Não leio o gênero com muita frequência, mas esse livro desperta minha curiosidade, pois acho que se aproxima demais da realidade que vivemos, sabe?
Gostei muito de ler sua resenha e estou me perguntando se os Androids conseguem reviver os humanos e como as coisas funcionavam antes de H1N1 começar a governar. A única coisa ruim para mim, será me adaptar com o nome dos personagens, acho que teria um pouco de dificuldade.
De toda forma, dica anotada.
Beijos,
Um Oceano de Histórias

Reply
avatar
1 de outubro de 2016 23:42 delete

Olá!

O Androide é um livro incrível! Gostei muito da narrativa, da trama e da história que é sensacional, não é meu gênero favorito, mas O Androide tornou-se uma leitura extraordinária e um livro querido por mim ;)

Abraços,

Reply
avatar