Resenha| A Garota Perfeita, de Mary Kubica

11:18 6 Comments A+ a-

Suspense, Thriller Psicológico, Literatura Estrangeira | 336 páginas | Editora Planeta | Classificação: 5/5 |Ofertas
Crédito da foto: delivroemlivro
Mia é a filha problemática do famoso juiz James Dennet, um homem rígido que vive de aparências, e de Eve, uma mulher omissa que sempre acatou todas as ordens do marido e desempenha com destreza o papel de esposa modelo. Diferente da sua irmã Grace, Mia nunca foi boa o suficiente para o pai. Mia mora sozinha desde os 18 e se dedica a ensinar artes para os jovens de uma escola. Certa noite, após levar um bolo do seu namorado Jason, ela decide dar uma chance a um estranho que acabara de conhecer : Collin Tatcher. E então ela desaparece.

"Minha intuição, no entanto, fala que alguma coisa aconteceu com minha filha. Alguma coisa ruim. Ela grita comigo, acorda-me no meio da noite: algo aconteceu com Mia."

O plano era simples, Collin precisava apenas entregar a garota a Dalmar (o mafioso que encomendou o crime), pegar a sua grana e esquecer que tinha participado do sequestro, mas por algum motivo ele decide não fazer isso, levando Mia para uma cabana no meio do nada em Minnesota, onde a mantém confinada e, misteriosamente, não envia nenhum pedido de resgate á família.

Depois que a sua amiga e colega de trabalho Ayanna liga para a casa dos pais de Mia, informando que ela não compareceu ao trabalho e não atende as suas ligações, Eve começa a ficar preocupada. Com o passar das horas e dias e a confirmação do desaparecimento da filha do juiz (embora ele acredite que ela esteja apenas fazendo alguma coisa estúpida), um detetive é designado para cuidar do caso, Gabe Hoffman.

"Estou ansioso e preocupado ao mesmo tempo. A filha do juiz desapareceu e tudo leva a crer que foi um sequestro. Darei a minha alma para encontrar Mia Dennett e me tornar um proeminente, conhecido e responsável detetive."

Mia é resgatada - isso não é spoiler - alguns meses depois sem nenhum ferimento grave, mas algo nela mudou. Gabe ainda precisa encontrar quem estava por trás do sequestro, mas a única pessoa que poderia ajudar não lembra de nada do que aconteceu enquanto esteve confinada na cabana, inclusive o seu próprio nome, que ela acredita ser Chloe.

"Ela é minha filha, mas não é. Ela é Mia, porém não é. Parece-se com ela, mas essa moça usa meias e bebe café, e acorda chorando no meio da noite. Responde mais rápido se a chamo de Chloe do que quando a chamo pelo seu nome. Ela parece vazia e letárgica quando acordada , e permanece insone quando deveria dormir."

Primeiramente tenho que falar da edição da Editora Planeta que está um show!!! A capa é linda, a diagramação e a revisão estão de parabéns, sem nenhum errinho. O livro tem 30 capítulos e um epílogo, e a história é narrada por três personagens: Colin, o sequestrador, Gabe, o detetive, e Eve, a mãe de Mia, em dois tempos diferentes: antes e depois do resgate. Se você acha que pode ter sido uma leitura confusa está totalmente equivocad@, os detalhes do caso vão aos poucos se encaixando através das informações dadas por cada um dos personagens, traçando uma teia de mentiras e descobertas que envolvem o leitor. O epílogo desconstrói absolutamente tudo que você acabou de ler, e é a única parte narrada pela própria personagem principal, Mia (sem comentários).

Os temas abordados na obra são muito sensíveis. Acredito que o que mais chama atenção nesse livro é o fato de que ele não é mais um livro sobre sequestro, ele fala sobre os anseios de uma mãe que tem a filha desaparecida, fala dos esforços empreendidos na busca de uma vítima de um sequestro quase sem pistas, fala dos esqueletos escondidos no armário de uma família tradicional. Como se isso não fosse bom o suficiente, a autora aborda a Síndrome de Estocolmo de uma maneira arrebatadora. Ao mesmo tempo em que é difícil se colocar no lugar de Mia, é fácil entender os sentimentos, tão bem explanados no livro, dos personagens envolvidos na trama. 

Sabe aqueles livros que tem pegada de filme? Pois bem, A garota perfeita com certeza tem gabarito para isso, pois é um thriller surpreendente do início ao fim. Mary Kubica nos brinda com um desfecho surpreendente e revelador, preparem-se para ficar boquiaberto! Esse livro é mais que indicado aos amantes - e não amantes - do gênero.

Pisciana, 2.6, humor de 60, dramática, apaixonada por livros e animais.

Instagram: @deebritoo

6 Comentários
Comentários

6 comentários

Write comentários
26 de julho de 2016 12:12 delete

Oiii Diana, como vai garota?
Confesso que fiquei bastante interessada para ler esse livro incrível, pensei que sera um drama relacionado apenas ao sequestro, mas fique aqui imaginando como seria todas as emoções em um livro, isso me deixou aqui curiosa.. Parabéns pela resenha e foto.
Beijihosss

Reply
avatar
26 de julho de 2016 22:35 delete

Oooi
Eu, que não sou amante do gênero, fiquei bem interessada na leitura. Já vi ele várias vezes por ai, ele até já me chamava atenção pela capa, agora então...Fiquei mais ainda.
Entrou para lista de leitura, espero ter a oportunidade de lê-lo.

Beijoos
http://estantemineira.blogspot.com.br/

Reply
avatar
Tahis
AUTHOR
26 de julho de 2016 23:16 delete

Olá!
Estou com esse livro nos desejados e cara, não vejo a hora de pegar para ler. è um Thriller que eu curto e fico louca querendo saber mais. Já vi que quando eu pegar vou passar a madrugada lendo rs'
Gostei de saber mais e acho muito louco esse "sequestrador" e isso só aumenta a minha curiosidade em conferir o livro.

Beijos!
http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

Reply
avatar
30 de julho de 2016 11:55 delete

Oi Diana, tudo bom?
Primeiro que eu já quero esse livro só pela capa, que coisa mais linda!
E a história me pareceu ser muito legal, adorei sua resenha!
Eu amo thrillers, amo ficar tentando descobrir o que realmente aconteceu e fiquei bem curiosa pra saber pq ela não lembra mais quem é! E esse pai dela parece ser bem chato hein, nem aí pra filha.

Reply
avatar
Ana Clara
AUTHOR
30 de julho de 2016 14:21 delete

Oi Diana!

Nossa, eu tô louca por esse livro simplesmente pela capa. Eu nem sabia do que se tratava, agora fiquei com mais vontade ainda. A história parece ser bem profunda, principalmente pelo fato de Mia ser a "filha rejeitada". Ai gente, isso pra mim num é um pai não, de verdade... E por que será que ela não se lembra de quem é? Tô realmente curiosa... E olha que num sou muito fã de thriller.

Beijo!
http://www.roendolivros.com.br/

Reply
avatar
Brubs.
AUTHOR
30 de julho de 2016 15:18 delete

Estou lendo esse livro e olha ta sendo difícil, pq mal como a ler me da um sono dos infernos, mas normal todos os livros desse gênero faz isso comigo e quando esta no final vem aquele suspense e adrenalina du carai...kkk sua resenha me animou e vou ver se pego para finalizar esse fds

Reply
avatar