Resenha| Marianas, a Civilização Dos Sonhos, de E. Chérri Filho

10:09 6 Comments A+ a-

Fantasia; Literatura nacional | 192 páginas | Editora Giostri | Classificação: 3/5 Ofertas
Jeromy é um cientista apaixonado pela vida vida marinha desde a infância. Patrocinado pelo seu amigo e empresário Renato Franchi, ele parte sozinho para as ilhas Marianas em sua mais nova pesquisa, que busca novas espécies e, sobretudo, confirmar a existência de sereias.  Em um mergulho, Jeromy sente como se tivesse sido tocado por algo e decide descer para as profundezas do oceano com um submarino. Tendo visto algo que a rapidez dos olhos humanos não consegue captar, ele se descuida dos aspectos de segurança necessários à sua sobrevivência e se lança ao mar numa profundidade inapropriada. E é aí que acontece...

"Foi um toque especial, um toque leve de quem não queria machucar. Parecia que uma suave mão deslizava e acariciava o seu rosto."

Ao acordar, Jeremy se depara com uma situação inusitada e surreal: ele está numa espécie de invólucro no fundo do mar, ao lado de uma sereia. Licia tinha o visto perder a consciência, durante o mergulho, e salvou a vida dele. O amor entre eles é inevitável, mas as regras do fundo do mar são claras: nenhum humano deveria saber da existência daqueles seres míticos, as sereias, e, por isso, Licia o mantém em segredo das outras criaturas, enquanto pensa numa forma de levá-lo a superfície em segurança. Mas Gléssios, seu irmão e líder do seu povo, os Ariatas Azuis, descobre o intruso e o leva ao Conselho para ser julgado. Jeromy explica a situação e pede para ser aceito entre os Ariatas, uma vez que, durante toda a sua existência, buscou por aquilo e sua vida em terra firme nunca fez sentido. Ele é aceito pela sociedade dos azuis e passa a viver cercado pela alegria e bondade daquele povo.

"Procurei tantas vezes me sentir inteiro. Aprendi coisas novas, estudei muito, viajei, conheci lugares lindos. Mas nunca, nada que tenha visto ou tocado se compara ao que estou vivendo agora. Por favor! Prefiro um dia apenas aqui com vocês que mil anos vivendo o que eu vivi até chegar aqui. Não tirem isso de mim!"

Não muito longe da Civilização dos Sonhos, vivia um outro povo, os Ariatas Vermelhos. Liderados por um déspota cruel chamado Zorguin, os vermes, como eram chamados, viviam sob um acordo de paz com os azuis no qual estipularam uma fronteira que jamais deveria ser ultrapassada. Ao saber da existência de um humano do outro lado da fronteira, Zorguin, covardemente, entra em território azul e sequestra Jeromy. Usado como pretexto para romper um tratado de séculos, Jeromy se vê impotente para ajudar o seu povo e o grande amor da sua vida.

Munido do "espelho da vida", um artefato que controla a mente de todos os seres marinhos, Zorgin declara guerra aos azuis, que nunca se prepararam para o combate e só possuíam amor no coração. Uma batalha épica entre o bem e o mal. Porém,  só um povo sairá vitorioso!

“Mesmo sendo dono de tudo, não poderia dominar e nem administrar tudo. O muito que tinha já não era suficiente para ele e seus vermes. Correu atrás do nada, conquistando nada para si e deixando nada para ninguém."

Marianas, a civilização dos sonhos é o primeiro livro da Saga das Sereias, do autor E. Chérri Filho. Narrado em terceira pessoa, a história possui 20 capítulos e um epílogo. A linguagem é poética e a narrativa é fluída. A capa dispensa comentários, é perfeita!

E que pese a minha admiração pelo tema, acredito que a revisão poderia ter sido bem mais atenciosa. Percebi muitos erros gramaticais e de pontuação ao longo da leitura. Esse tipo de falha não tem o condão de diminuir o brilhantismo da história, mas deixa o leitor um pouco desconfortável. Outro ponto a ser destacado foi a falta da numeração das páginas. Acredito que foi proposital, uma vez que o autor quer deixar margem para imaginação do leitor se realmente a história foi real ou se foi sonho, se sereias existem ou não. Bem, seja como for, para mim dificultou um pouco, pois sempre que eu parava a leitura não tinha como saber em que página tinha parado. Até o histórico de leitura no Skoob teve que ser na base do olhômetro mesmo.

O amadurecimento da escrita do autor é notável durante a leitura. Ao contrário de outros autores, em que se percebe a diferença da escrita ao longo dos livros, aqui pude perceber do início para o fim. Chérri começa inseguro, meio que apressando as coisas para não correr o risco de desagradar, e depois vai ganhando espaço. Algumas partes da história poderiam ter sido mais exploradas, mas tenho certeza de que ele fará isso no segundo livro. Foi bastante interessante a forma como o autor demonstra seu conhecimento histórico e geográfico,  aplicando fatos da narrativa a eventos do cotidiano, como eclipse, tsunami, etc.

Os personagens são cativantes. Os principais, Jeromy e Licia, são fofos e especiais. Confesso que no início achei meio clichê a forma como eles se apaixonam rápida e perdidamente, mas o autor foi muito esclarecedor em explicar a sintonia já existente entre o casal. Os personagens secundários, que acredito eu, terão continuidade na saga como principais (a história de Jeremy foi finalizada), também tem personalidade própria. Bela e Gléssios conseguem transmitir seus sentimentos através dos diálogos. Bela, uma super amiga que está sempre disposta a ajudar no que for preciso; Gléssios um poderoso líder, capaz de se sacrificar pelo seu povo. Zorguin é o tipo de vilão que não precisou de motivos para se tornar o que é, apenas a ambição. E isso é o que te faz ter raiva dele de verdade. Como uma criatura é capaz de matar sem remorso sem ao menos ter  um motivo para isso? Aliás, como tem capacidade de atacar criaturas que nunca fizeram mal a ninguém? Mas até na ruindade do vilão existe uma fraqueza... alguém se arrisca a dizer qual é?

Na nota do autor, Chérri diz que "Felizes são os escritores que criam, felizes os leitores que creem", acredito que ambos saímos felizes ao final deste livro. Ele porque criou um novo mundo, um mundo subaquático com uma infinidade de pequenos detalhes aplicados à história com destreza, e eu porque acreditei nesse mundo mágico e naveguei junto com ele. E vocês, acreditam em sereias?

Pisciana, 2.6, humor de 60, dramática, apaixonada por livros e animais.

Instagram: @deebritoo

6 Comentários
Comentários

6 comentários

Write comentários
3 de junho de 2016 18:58 delete

Oiii Diana, tudo bem?
Menina eu sou completamente apaixonada por essa obra, eu li ele no início do ano e até hoje continua sendo um dos meus favoritos <3
Beijinhos

Reply
avatar
Thatyane
AUTHOR
3 de junho de 2016 22:31 delete

Oi, amei a premissa desse livro e amo livros com essa pegada e por ser sobre sereias me cativou mais. Já li um livro do autor e já gostei da escrita poética do autor, o modo como ele escreve é delicado e único e deve acontecer isso nesse livro também. Amei a resenha e o livro já está entre os desejados.
bjus

Reply
avatar
Anna Caroline
AUTHOR
4 de junho de 2016 00:41 delete

Oi Diana, tudo bem?
Eu só conhecia o livro pela capa e nem imaginava que era sobre sereias. Me surpreendi ao ler sua resenha, que por sinal gostei bastante. A premissa do livro é bem interessante e instiga a curiosidade para saber como essa guerra entre Ariatas Azuis e Vermelhos se desenvolve e como se encerra. O conjunto da obra(narrativa, personagens e enredo) parece ser muito bem elaborado. Dica anotada, espero ler em breve.
Beijos

Reply
avatar
6 de junho de 2016 14:13 delete

Ooi! Acho que seria muuuito estranho ler um livro que não contém numero de páginas. Ainda mais eu que faço metas diárias baseando em numeros de paginas, ia ficar muito perdida. o.O
Eu não sou fã desse tema, a impressão é de que as histórias são sempre iguais então não é uma leitura que para mim seria ideal.
Beijos
Estilhaçando Livros

Reply
avatar
Karla Samira
AUTHOR
6 de junho de 2016 14:44 delete

Olá! Que linda capa esse livro tem! Conheço o autor, mas ainda não tive oportunidade de ler nenhuma de suas obras, apesar de vontade não me faltar! Que bacana a forma como ele fez parecer real esse mundo de fantasia da vida de um humano no fundo do mar e das sereias. Que legal um povo ter incluído o personagem humano como um dos seus e eu espero que o bem tenha vencido essa batalha!
Vou procurar para leitura.
Beijos!

Karla Samira
http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

Reply
avatar
Anna Gabby
AUTHOR
8 de junho de 2016 00:47 delete

Oie, Diana! Eu só li dois livros sobre sereias e apesar de terem algumas semelhanças com a história acima (afinal são as mesmas criaturas), eu vejo uma diferença da trama que me interessou. Gostaria de ler, mas gostaria ainda mais de ver que a luta vai além do bem vs mal, podem a complexidade dos personagens me intriga sempre!
Bjus
Anna - Letras & Versos

Reply
avatar