Resenha: Zac & Mia, da autora A.J Betts

16:32 0 Comments A+ a-


Uma história emocionante, super encorajadora e linda. Conheça Zac & Mia, da autora A.J Betts, publicado pela Editora Novo Conceito, e apaixone-se por essa história que vai merecer um lugar especial em sua estante. (<3)

Zac é um adolescente, paciente da ala de Oncologia de um hospital na cidade de Perth, Austrália. Após ter recebido um transplante de medula como tratamento para leucemia, ele está de quarentena, esperando o tão sonhado contato com o mundo real, enquanto joga palavras cruzadas com a sua mãe no quarto 1.

Vários pacientes chegam e saem do hospital (todos bem mais velhos do que ele), até que um dia, o quarto ao lado é ocupado por uma menina da sua idade. Mia parece ser bem diferente dos pacientes que costumam chegar no hospital. A princípio, ele ouve apenas discussões dela com a sua mãe e em seguida um som no último volume começa a tirar a sua paz.

"Está experimentando uma nova forma de terapia, tentando fazer as células cancerosas dela se auto destruírem espontaneamente? Existe alguma Cura Milagrosa da Lady Gaga para o câncer de qual nunca ouvi falar?"

Zac passa a se comunicar com Mia através de batidas na parede na intenção de fazê-la baixar o volume do som, até que um dia recebe um convite inesperado no Facebook. Um convite que iria mudar definitivamente o curso da sua vida.

"Bato de novo, em sequencias de três, agora insistente como um carteiro. Toc Toc Toc. Espera. Toc Toc Toc....Chiado. Gotejo. Zumbido. Então, tap, a parede responde para mim. Tap."
Mia tem osteosarcoma (câncer no osso de uma de suas pernas) em um estágio avançado, já que a muito tempo ela vinha dando pouca (ou nenhuma) importância a dor constante que sentia no tornozelo. Em todos os sentidos, Mia é diferente de Zac. Ela é popular, fútil, adora baladas e tem um namorado “perfeito”. Ela não aceita a situação, e mesmo estando prestes a iniciar um tratamento contra o câncer, age normalmente nas redes sociais e finge para os amigos que está apenas viajando.

"- Ouço coisas como ‘você ter descoberto a tempo de se tratar é muita sorte…’ É impossível, essa coisa de sorte. Eu queria que a sorte desse o fora e me deixasse cometer meus próprios erros. Quero ter o controle sobre a minha vida novamente."

Zac por sua vez, é aquele cara que sempre tenta ver o lado positivo das coisas, ex-atleta de vários esportes, vindo de uma cidade do interior, apaixonado por Emma Watson (Harry Potter) e conhecedor de todas as estatísticas relativas à sua doença, só deseja voltar para a escola e ajudar sua família na fazenda com os animais.

"- Não sou lutador e provavelmente nunca vou ser muito corajoso. Fiquei deitado na cama por vinte e sete dias consecutivos e consegui recuperar o controle dos meus intestinos. Consegui perder cem por cento do cabelo, e minha cabeça de alguma forma dobrou de tamanho."

Zac e Mia são duas pessoas que em condições normais jamais se encontrariam, porém o câncer os une em busca do recomeço de uma vida sem  limitações.

CLIQUE AQUI e adquira Zac & Mia
O livro é narrado em três partes. Uma por Zac, uma por Zac e Mia, intercalando os capítulos, e outra só por Mia. Embora eu tenha gostado da capa, não consegui ver ligação com a história. Talvez o olho tenha a ver com a forma de lidar com a doença de cada um dos personagens, o ponto de vista de cada um (ou posso estar filosofando demais e não ter nada a ver com isso). A diagramação está ótima, apesar de bem simples, as páginas amareladas, tamanho de fonte ideal e sem erros ortográficos.

Os personagens secundários acrescentaram e muito à história. Você acaba se envolvendo bastante com a simpática enfermeira Nina e seus prendedores de cabelo de bichinhos, o surfista Cam (o choro é garantido), Bec, a irmã grávida de Zac, com seu jeito meio doido e divertido de apoiar as atitudes do irmão (entendedores entenderão) e Wendy, a mãe super dedicada de Zac. O amor que ela sente pelo filho é palpável e seus comentários são muito engraçados.

Zac & Mia é uma leitura leve e fluída, sensível e engraçada. Diferente dos clichês que costumamos ver nas histórias sobre câncer, o livro foca mais na questão psicológica, na forma como a doença é vista e absorvida pelos personagens do que na doença propriamente dita. Observamos o dia a dia dos personagens e como cada um reage ao tratamento que lhe é imposto. Embora eu particularmente tenha gostado bastante, devo dizer que vocês NÃO vão encontrar aqui nada parecido com A culpa é das estrelas.

Podemos perceber durante o livro, uma grande mudança em Mia, que a princípio não aceita as limitações impostas pela doença e como Zac a ajuda a superar isso. É sempre legal acompanhar o amadurecimento dos personagens. Os diálogos são bastante reflexivos e nos trazem uma grande lição de como deveríamos valorizar mais a vida.

Uma leitura encorajadora, fortificante e super indicada para quem deseja rir, se emocionar e se apaixonar com personagens que ficarão marcados para sempre por sua bravura e determinação na luta contra o câncer.

Pisciana, 2.6, humor de 60, dramática, apaixonada por livros e animais.

Instagram: @deebritoo

0 Comentários
Comentários