Resenha| Tudo e todas as coisas, de Nicola Yoon

17:27 6 Comments A+ a-

| Editora Arqueiro | Classificação: 5/5 | Ofertas |
Madeline é uma garota normal... Só não está liberada para sair de sua casa (como se viver presa dentro de casa fosse considerado algo normal). Devido a uma doença muito rara que se desenvolveu durante sua infância, ela é proibida de deixar o conforto de seu lar, que é desinfetado a cada 2 horas. Tudo o que ela conhece do mundo é através da janela de seu quarto, e é através dessa pequena janela que ela conhece a família vizinha, recém-chegada na vizinhança. Com sua vida regrada e cheia de checagem de sinais vitais ao longo do dia, a nova família traz à jovem Mads um novo passa-tempo: observar o rebelde Olly. Porém, quando eles começam a ter contato e a amizade se torna algo mais, Mads e Olly são barrados pela rara doença que afeta a garota. Eles se veem num beco sem saída, onde o amor que eles sentem, talvez, nunca possa ser vivido.

Livro de estreia de Nicola Yoon, Tudo e todas as coisas me ganhou já na sinopse, mas confesso que quanto mais eu ia lendo o livro, mais complexo ele se tornava para mim e mais eu torcia pra que nossas vidas não fossem tão confusas. O título traz questionamentos tão profundos sobre nossas vidas, famílias e amigos, que não tem como não se identificar. A história é muito bobinha, a principio, você chega até a achar que é um livro para crianças, já que ele apresenta algumas ilustrações de acordo com o que vai rolando na trama, mas, como já falei, a trama é bem mais profunda e ampla que isso. Não estou dizendo que não o indicaria para uma criança, muito pelo contrário, já que o público alvo do título é exatamente o "jovem", mas falo que as lições trazidas pelo livro são coisas que alguém com mais experiência poderia refletir mais profundamente, sem dúvidas. 

Depois de um acidente que matou o pai e seu irmão mais velho, Madeline já havia sido diagnosticada com essa doença rara. A autora explica muito bem o tipo de doença que ela tem e, na medida do possível, usa vários termos técnicos para explicar como é feita a purificação do ar dentro da casa de Mads e quais os tipos de remédios que ela toma. Apesar de não ter contato com outras pessoas, Mads não poderia ser mais amorosa. Ela ama a vida, as pessoas e, principalmente, seus livros. Em vários momentos da minha leitura, questionei-me se eu aguentaria passar por tudo que ela passou, ficar isolada, só ter a mãe e sua enfermeira, Carla, que também é sua melhor amiga. Como seria viver a vida sem realmente vivê-la? E a medida que eu me questionava, Mads começava a se questionar também, o que nos mostra claramente um crescimento da personagem durante a trama.

Não consideraria o livro um romance, pois apesar de Mads se envolver romanticamente com Olly, essa relação é nada mais que um "trampolim" para que ela saísse da inércia que era sua vida. Esse romance serviu para que ela soubesse que a situação em que ela vivia não era realmente viver. Mads apenas sobrevivia. Como já deu para perceber, a protagonista é uma personagem forte, apesar dos empurrões que a vida sempre deu nela. Diferentemente dela,  Olly é um garoto rebelde que passa por seus próprios demônios dentro de sua família, com um pai abusivo e alcoólatra. Diria que ambos precisavam se salvar, pois, apesar de pouco conhecer sobre as coisas do mundo, Mads ajuda Olly e, consequentemente, ele ajuda a família dela. E isso é tão incrível quando acontece! Porque só então notamos que querer ajudar vai muito além do saber como ajudar, ou ter experiência.

Em resumo, Tudo e todas as coisas além de me fazer refletir sobre a vida, amor e tudo que esse último pode desencadear, entrou para minha lista de melhores do ano. Mal posso esperar para ler mais livros de Nicola Yoon e seu modo muito particular de ver o mundo por um outro ângulo. Talvez mais autores devessem seguir essa linha. Eu só sei que preciso de mais livros assim. Me apaixonei por Olly, Mads e principalmente entendi que para chegar a qualquer ponto na vida, você precisa destruir tudo que está condicionado em sua vida. Você precisa ir além e sempre confiar em si. 

Jornalista, taurina, viciada em livros, filmes, seriado e em conhecer novos lugares. Adora estudar inglês e acha que essa deveria ter sido sua língua mãe.

6 Comentários
Comentários

6 comentários

Write comentários
5 de setembro de 2015 19:24 delete

Olá! Nossa, só sinopse me prendeu e a resenha veio para lacrar de uma vez! rsrsrs É sério, eu gosto de livros assim, e está tão difícil achar...Ele está disponível onde para comprar? Gostei demais mesmo! Ah, lindo seu blog, parabéns, beijos!

http://www.livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

Reply
avatar
5 de setembro de 2015 22:08 delete

Oi
Me diz uma coisa esse livro é em inglês? Já tem no Brasil? Só a capa já faz a pessoa se apaixonar. Gosto de livros assim, que mostram dificuldades na vida das pessoas e como elas superam, me faz pensar na minha vida e em como têm pessoas com problemas piores que o nosso. Outra coisa legal, que vi, pela sua resenha, que esse livro tem é o crescimento da personagem, principalmente, em relação ao fato de que estamos sempre acomodados em ma situação até que algo, ou alguém aparece e nos faz questionar sobre como estávamos levando a vida. Isso é o que faz a pesonagem crescer gradualmente na história.
Gostei muito, com certeza é um livro que eu leria. Mas como não sei inglês, vou ter que esperar chegar no brasil.

bju

Reply
avatar
6 de setembro de 2015 01:24 delete

Oiii.

Adorei a capa, simplesmente linda. A resenha também e bem interessante. E até pela sua resenha e pelo que disse já da pra imaginar que um livro que lhe faz pensar realmente (livros assim são interessantes) creio que poderia até colocar ele na minha lista mesmo que não vá ler agora.
Parabéns pelo trabalho. Realmente gostei da sua resenha.

Bjs.
Booksandcarpediem.blogspot.com.br

Reply
avatar
Alice Duarte
AUTHOR
6 de setembro de 2015 14:03 delete

Oii Ray, que resenha linda! Nao conhecia o livro mas me interessei logo de cara, toda essa questão da inércia da Mads e também sua doença me deixam curiosa, mais até do que pelo romance entre os personagens. A capa do livro é maravilhosa!!!

Beijokas

naprateleiradealice.blogspot.com.ar

Reply
avatar
Ju
AUTHOR
6 de setembro de 2015 17:28 delete

Ray, achei essa resenha uma maldade, porque você leu em inglês, né? Estou apaixonada por essa capa e amei saber que ainda tem ilustrações! Parece que o livro transmite mesmo belas lições, fiquei curiosa para saber mais sobre a doença da Mads e como ela conseguiu se envolver romanticamente com o Olly. Deve ser interessante vê-la saindo da inércia, e é muito saber que é uma protagonsita forte.

Beijo!

Ju
Entre Palcos e Livros

Reply
avatar
Matheus Braga
AUTHOR
8 de setembro de 2015 13:00 delete

Olá, tudo bem?

Apesar de ter amado a capa do livro e achado a premissa até interessante, não pude deixar de notar a semelhança com um filme antigo de comédia chamado Jimmy Bolha, que é a história de um rapaz que tem imunidade baixa e vive dentro de uma bolha em seu quarto e só conhece o mundo através da TV e das janelas da casa, até que decide construir uma bolha para poder andar pelo mundo. Acho que por isso vou deixar essa leitura passar, estou buscando histórias mais originais e que consigam me envolver. Parabéns pelo texto, muito bem elaborado.

Abraços,
Matheus Braga
Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

Reply
avatar