Resenha: A mais pura verdade, do autor Dan Gemeinhart

14:24 4 Comments A+ a-


A mais pura verdade, livro do autor Dan Gemeinhart, publicado pela Editora Novo Conceito, é um livro sobre superação. Você com certeza se apaixonará por Mark e seu cachorro, Beau. Prepare-se para escalar o Monte Rainier e participar dessa aventura.

Mark é um garoto de doze anos que luta contra o câncer desde os sete. Após muitos tratamentos e internações, ele descobre que o câncer voltou e julgando não ter muito tempo de vida, ele decide realizar o seu grande sonho: escalar o Monte Rainier. Para isso, Mark tem que tomar uma decisão muito importante: deixar para trás os seus pais e Jessie, sua melhor amiga.

Jessie era a única pessoa com quem Mark se abria. Com ela, ele podia chorar sem dizer uma única palavra e compartilhar os seus maiores medos. Por esse motivo, ela foi a única que soube para onde Mark havia ido quando a notícia de que ele fugiu se espalhou por todo o estado. Cabia a Jessie guardar aquele segredo e deixar que o seu melhor amigo realizasse o seu sonho, ainda que fosse o último deles.

“Mesmo a muitos quilômetros de distância, um amigo ainda pode segurar a sua mão e estar ao seu lado”.

Decidido a ir até o fim, Mark foge de casa com o seu fiel escudeiro, seu cão, Beau, alguns dólares, remédios, uma mochila contendo alguns alimentos e equipamentos básicos de escalada, uma máquina fotográfica velha e um caderno com uma caneta para escrever poemas hacais. Ele já tem tudo planejado na sua cabeça, mas não imagina o quanto vai ser difícil chegar ao seu destino.

“Sempre soube que era uma loucura. Um garoto doente, fugindo de casa para escalar uma das maiores montanhas da América do Norte. Sozinho. É – sempre pareceu loucura. Mas lá naquele banheiro, cheio de sangue e hematomas, não parecia só louco. Pareceu uma estupidez. E impossível. Inútil”.

A mais pura verdade é um livro sobre superação, sem dúvidas. Porém, foge dos clichés a que estamos acostumados sobre crianças em estado terminal (blá blá blá) e que no final tudo dá certo (mais blá blá blá). Não aqui. Mark não é uma criancinha desamparada que a gente tem vontade de pegar no colo. Muito pelo contrário, ele é corajoso, bem resolvido e entende perfeitamente a situação na qual se encontra. E não, ele não é fofo. Em algumas partes do livro eu realmente achei que ele estava sendo egoísta em relação aos pais, à amiga e principalmente ao seu cachorrinho, que, por sinal, é o personagem coadjuvante.

O autor descreveu as atitudes de Beau, cachorro de Mark,  perfeitamente e, no meio do livro, o leitor já se encontra perdidamente apaixonado por ele. Aliás, demonstrar sentimentos em animais é uma coisa difícil de passar para o papel. Então, palmas para ele!



A capa é bem legal e mostra um menino e um cachorro separados por uma fissura que, pela posição das árvores, nos dá a ideia de uma montanha. O interessante é que em determinada passagem do livro, a capa é claramente explicada. Os capítulos são divididos em capítulo 1, capítulo ½ e assim sucessivamente. Os capítulos “inteiros” são narrados em primeira pessoa, por Mark. Os “meios” capítulos são sempre narrados em terceira pessoa e conta sobre a situação da família de Mark e de Jessie, sua amiga. A diagramação do livro é bem interessante e todos os capítulos remetem a mesma fissura da capa. A parte de trás do livro também é bacana porque já nos mostra o que Mark separou para levar na sua mala para a viagem.

O livro me surpreendeu justamente pelo fato de abordar um assunto relativamente “batido” de maneira original e singular. A única coisa que deixou a desejar foi com relação à doença do personagem, pois chegamos ao fim do livro sem saber que tipo de câncer Mark possui. O desenrolar do livro é muito emocionante, daqueles que fazem você pensar: “Não acredito!” ou “Ai meu Deus, e agora?”. Então se você curte um drama cheio de aventuras, tem que ler esse maravilhoso livro!

CLIQUE AQUI e veja as ofertas
SINOPSE: Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha. Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças. Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram. Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier.Nem que seja a última coisa que ele faça.

Pernambucano, blogueiro e bailarino nas horas vagas. Para ficar mais próximos dos livros, escolheu ser revisor textual. Instagram/Twitter: @Jadsongomees

4 Comentários
Comentários

4 comentários

Write comentários
30 de julho de 2015 08:51 delete

Olá!

Esse livro é emocionante mesmo, impossível não amar Mark e Beau! Eu resenheia há algum tempo e minhas impressões foram parecidas com as suas, a única coisa que me incomodei foi que ele sempre repetia "é a mais pura verdade" e não me incomodei com o fato de não ter descoberto qual o tipo de câncer de Mark.

resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

Reply
avatar
30 de julho de 2015 22:55 delete

Oi, que resenha maravilhosa, parece ser um livro muito belo e emocionante. Que bom que o personagem é bem diferente dos que agente vê por aí, já gosto de histórias assim. Bjs

Reply
avatar
31 de julho de 2015 09:25 delete

Oi, tudo bem?
Eu já tinha visto esse livro mas não sabia do que se tratava. Depois de ver a sua resenha eu fiquei bem curiosa...
Beijos
http://amandastale.blogspot.com

Reply
avatar
Vanessa Woods
AUTHOR
1 de agosto de 2015 16:25 delete

No começo do livro eu não esperava muita coisa, mas o final realmente me pegou profundamente. Excelente resenha ^.^

Vanessa | http://closetdelivros.blogspot.com.br/

Reply
avatar