Resenha | Agência de investigações holísticas Dirk Gently, de Douglas Adams

08:09 1 Comments A+ a-

Susan Way esperava seu namorando, Richard Macduff, para sair, mas, pelo visto, ele estava muito um pouco atrasado. A paciência da moça estava esgotada, pois isso já se repetia pela 3ª vez. Então, ela decide sair com seu amigo. O que ela não esperava, era que, após a sua saída, seu namorado fosse deixar um recado na sua secretária eletrônica. Arrependido, Richard Macduff tenta pensar numa forma de consertar o que havia deixado na secretária eletrônica da namorada.

"Não havia nada que pudesse fazer quanto a uma mensagem deixada na secretária eletrônica de outra pessoa, além de esperar o desenrolar dos acontecimentos. Não havia conserto. Era irrevogável."

Após alguns minutos pensando, tinha conserto, sim. E a ideia era roubar a fita da secretária eletrônica da namorada, mas como ele não tinha a chave, tentou o jeito mais difícil: escalar o prédio até chegar no apartamento de Suzan. O que Richard não esperava, era que alguém da vizinhança o visse tentando fazer isso. Dirk Gently, ex-colega de turma de Richard e detetive, viu a situação através de seu binóculos e resolveu oferecer  seus serviços ao colega. Pois, além dessa situação um tanto estranha em que Richard encontrava-se, ainda estava sendo suspeito de assassinar o seu chefe riquíssimo e cunhado chamado Gordon Way. 

"Eu ofereço um serviço que não existe em nenhuma parte do mundo. O termo "holístico" se refere à minha convicção de que devemos nos concentrar na interconexão de todas as coisas..."

Dirk era uma figura estranha e vivia matutando sobre essas interconexões em seu escritório. Além de explorar velhinhas indefesas, é claro.


O que Richard não sabia era que coincidências existiam, e elas poderiam ser perigosas, principalmente para ele que era suspeito de ter assassinado seu patrãozinho não tão querido. E o desenrolar da história acontece de uma forma um tanto peculiar. A palavra certa para definir essa história mais que louca é "peculiar", com certeza. Fantasmas, viagens no tempo, monges eletrônicos e coisas aparentemente sem conexão nenhuma, tornam-se algo que faz sentido. Dirk Gently, louco, mas com um pouco de sanidade.


O livro de Douglas Adams, de fato, é louco. Tenho total convicção disso. Histórias completamente loucas, sem pé nem cabeça, mas que no final o autor consegue nos mostrar o fio condutor de tudo. O início da leitura é muito "Whats?" e começa bem confusa mesmo. Mas, após algumas páginas, o livro começa a ficar um pouco mais coerente e coeso. 



Não poderia deixar de falar da escrita de Adams, né? Acho que foi uma das coisas que me chamou atenção, pois me fez rir muito. Ele consegue ser crítico e engraçado simultaneamente. Acho que isso é um ponto bastante relevante para prender o leitor, porque você inicia a leitura de uma forma bem confusa com um  monge eletrônico sentado numa égua e se pergunta: o que será que vem por aí? Impossível de saber, gente. Sério mesmo! A cada página era uma novidade.



Apesar do livro ser confuso, ele é divertido e bem viajado. E coerente também. Às vezes. [Risos] Mas no final tudo faz sentido. Então, para quem gosta de histórias loucas e divertidas: super recomendo. Uma leitura válida. Um pouco louca, mas válida.  

Perfil do blog Porre de Livros. Se gosta de ler, você está no lugar certo. 

Acompanhe-nos em nossas redes sociais: 
Twitter: @_raypereira / Instagram: @PorreDeLivros / Facebook: Porre de Livros

1 Comentários
Comentários

1 comentários:

Write comentários
Ariane Reis.
AUTHOR
3 de junho de 2015 11:35 delete

Oie =)

Li apenas um livro desse autor e gostei muito.
Esse parece ser bem interessante, se tiver oportunidade vou dar uma chance com certeza =D

Beijos e um ótimo feriado;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Reply
avatar