[Resenha] Uma longa jornada - Nicholas Sparks

08:40 3 Comments A+ a-



Aos 91 anos, com problemas de saúde e sozinho no mundo, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há 9 anos, surge diante dele. Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra diversos momentos de sua longa vida em comum: o dia em que se conheceram, o casamento, o amor dela pela arte, os dias sombrios da Segunda Guerra Mundial e seus efeitos sobre eles e suas famílias. Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga até um rodeio. Lá, é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição. Ira e Ruth. Luke e Sophia. Dois casais de gerações diferentes que o destino cuidará de unir, mostrando que, para além do desespero, da dificuldade e da morte, a força do amor sempre nos guia nesta longa jornada que é a vida.

O livro conta duas histórias de amor ao mesmo tempo, a de Ira e Ruth e de Luke e Sophia.
Ira Levinson, um senhor de 91 anos de idade, viúvo, sem filhos, que sofre um terrível acidente de carro. Ele fica muito machucado e com medo de não ser encontrado, pois seu carro caiu em um barranco e a única força para sobreviver a tudo isto é a presença de sua falecida esposa, Ruth. Ira consegue vê-la e senti-la, mesmo sabendo que não ela poderia estar ali de verdade, porém é isto que o mantém vivo e o faz esquecer um pouco das dores, da fome e, principalmente, da sede.


Dentro do carro, Ira relembra toda a longa jornada que tivera com seu amor, Ruth. Desde o momento em que se viram na loja de seus pais, o primeiro beijo, o pedido de casamento, a distância por conta da Segunda Guerra Mundial, o reencontro, o casamento, a lua de mel e a vida após a morte de sua amada.  E é isso, essas lembranças do amor que sentira por sua esposa,  que o faz manter-se vivo.

Quatro meses antes... A segunda história é sobre Sophia Danko, uma jovem estudante de História da Arte que acaba de romper com seu ex-namorado, pois descobre, pela segunda vez, que fora traída por ele. E para tentar animá-la, sua amiga Márcia tenta convencê-la a ir para um rodeio e apesar de Sophia não ficar muito contente com a ideia, depois  acaba aceitando.

Lá, Sophia percebe um mundo a qual não está acostumada e decidi tomar um pouco de ar e se afastar um pouco de toda aquela multidão, música, calor e é nesse momento, em que está admirando o céu noturno, que seu ex-namorado Brian reaparece e tenta, a todo o custo, reatar o relacionamento com ela. E quem a salva dessa confusão é Luke Collins, um peão muito bonito e atraente que acaba de vencer o rodeio daquela noite.

Sophia fica bastante agradecida pela intervenção de Luke em ajudá-la a se livrar das investidas de Brian. Conversam bastante e percebem que, mesmo sendo tão diferentes, há algo que os uni; e no dia seguinte Sophia vai visitar a fazenda de Luke.

Na fazenda, eles começam a se conhecer, conversam por horas e sobre tudo. Sophia fica encantada com esse mundo que ela não conhecia, e Luke fica encantado com a vida de Sophia na universidade, mesmo ela achando que isso não é lá muito empolgante. Duas vidas diferentes, porém o sentimento que crescia cada vez mais fazia com que eles não conseguissem mais viver um sem o outro; mesmo que o futuro fosse incerto, pois Sophia iria terminar a faculdade em breve e não sabia se iria ser aceita em algum museu, ou se iria ter que voltar para a casa dos pais e ter que trabalhar na delicatessen. E Luke tinha um grande segredo que talvez pusesse tudo a perder com Sophia.

Mas não se concentraram em pensar nisso, pensariam somente no presente e viveriam essa paixão até onde fosse possível, cuidariam do futuro depois, mesmo que estivessem pensando isso, não queriam transparecer preocupações um para o outro.

Particularmente, adorei o livro. Leve, doce, muito apaixonante, porém dramático. A leitura é leve, simples, com uma história de superação, aprendizado e  a descoberta do primeiro amor. Faz você pensar naquele amor intenso e nas dificuldades que você faz para conseguir ser feliz com ele. Um livro que prende você do começo ao fim. Chorei, confesso. Mas também ri e fiquei apaixonada pelos personagens, principalmente pelo casal Ira e Ruth.

“Sinto falta de você esta manhã, como senti todos os dias nos últimos noves anos. Estou cansado de ser só. Cansado de viver sem o som da sua risada e me desespero ao pensar que nunca a abraçarei de novo. Contudo, você iria gostar de saber que, quando esses pensamentos sombrios ameaçam me dominar, posso ouvir sua voz me repreendendo: “Não seja tão dramático, Ira. Não me casei com um homem dramático.”
[...] Quando contemplo as profundezas do universo, sei que está chegando a hora em que a terei em meus braços mais uma vez. Afinal de contas, se existe um paraíso, nós nos encontraremos de novo, porque não existe um paraíso sem você.
  Eu a amo, Ira.
Ruth é uma mulher linda, inteligente, batalhadora e apaixonada pela arte e por Ira. E é esse seu amor que torna Ira o que é: um homem feliz por ter conhecido seu grande amor e por ter conseguido conhecer e compartilhar o que há de melhor ao lado de sua amada. Todas as declarações que eles faziam um para o outro são de deixar qualquer um ficar com os olhos marejados. É o tipo de casal que conquista qualquer um, pois o amor entre eles consegue fazer bem até  para quem não está envolvido diretamente  e isso vocês só descobrirão ao ler o livro, claro.
O casal Ira e Ruth fez-me lembrar de um outro casal, Allie e Noah do Diário de uma paixão, outro casal apaixonante que o autor criou. Ambos têm em comum o amor que ultrapassa as barreiras do tempo, da vida e da morte. (Quem ainda não viu, deveria ver. Mas certifique-se de ter uma caixa de lenços ao lado, pois o choro é certo). 

Pernambucano, blogueiro e bailarino nas horas vagas. Para ficar mais próximos dos livros, escolheu ser revisor textual. Instagram/Twitter: @Jadsongomees

3 Comentários
Comentários

3 comentários

Write comentários
mary c.s.p
AUTHOR
23 de abril de 2015 17:23 delete

Olá.
Gosto muito dos livros do Nichlas Sparks, mas eles são sempre muito dramáticos que no fim acabo me debulhando em lágrimas, este parece que não é diferente e mesmo assim estou louca para lê-lo, me encantei com a sinopse e sua resenha ficou maravilhosa e bem detalhada, adoro resenhas assim. Passa la no meu blog para conhecer o meu trabalho.
um abraço.
http://leiturasdamary.blogspot.com.br

Reply
avatar
mary c.s.p
AUTHOR
23 de abril de 2015 17:24 delete

Olá.
Gosto muito dos livros do Nichlas Sparks, mas eles são sempre muito dramáticos que no fim acabo me debulhando em lágrimas, este parece que não é diferente e mesmo assim estou louca para lê-lo, me encantei com a sinopse e sua resenha ficou maravilhosa e bem detalhada, adoro resenhas assim. Passa la no meu blog para conhecer o meu trabalho.
um abraço.
http://leiturasdamary.blogspot.com.br

Reply
avatar
24 de abril de 2015 11:59 delete

Oi,
Estou curiosa para conhecer mais essa história do mestre Sparks. Adoro suas histórias apesar de sempre me fazerem

chorar. Essa história parece ser linda e emocionante também, mais um sucesso com certeza.
Beijos
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com

Reply
avatar