[Resenha Nacional] Enquanto a Chuva Caía - Christine M.

22:42 7 Comments A+ a-


Erik Gouveia não é um policial, bandido ou traficante, mas ele faz o papel de todos eles juntos. Ele é aquele que caça, espanca e condena aqueles que a justiça deixou escapar. Sua vida atualmente depende de envelopes, tais coisinhas sem importância para a maioria da população, traz para Erik o destino do seu próximo trabalho. Entretanto, seu 'chefe' o quer aposentado, e é assim que sua vida se cruza com a de Marina Muller. Após a morte abrupta de seu marido na guerra, Marina mergulhou em trabalho e é a única que anda segurando a barra da sua família: Seu pai está com Alzheimer e sua mãe mergulhada em tristeza. Quando ambos se vêm envolvidos em uma trama cheia de mistérios, roubos e mortes, o amor entre eles fala mais alto e eles terão que decidir se deixam o passado para trás de vez ou se separam-se para sempre.
"De longe, a vida é óbvia e tudo parece corriqueiro. No entanto, se nos aproximarmos e invadirmos a linha do íntimo, do secreto e do individual notaremos que, quanto mais perto, mais complicado, mais difícil, mais indecifrável."
Antes de começar a ler este livro, não sabia de nada sobre ele, a não ser que a Christine já tinha escrito outros livros, e que a maior parte dos leitores gostavam de sua estórias, mas eu não achei que iria gostar tanto. Com uma trama muito dinâmica, leve e ao mesmo tempo política, ela consegue desenvolver uma estória que tem tudo para prender qualquer pessoa. Narrado em primeira pessoa, porém
 com pontos de vista do Erik e da Marina, o livro se desenvolve também em dois cenários diferentes: Brasil e Estados Unidos. Porém, isto pouco interfere no contexto geral, visto que poucas são as descrições de locais externos, e que estas pouco fazem no decorrer da trama. Diferente de outros autores, Christine M. não é uma daquelas que enrola na escrita. Ela vai direto ao ponto sem voltas, rodeios e retornos, ela usa de pouca discrição externa, pensamentos suficientes do narrador e falas inteligentes, cheias de sarcasmo e certas.

Continuo feliz em ver uma escrita com uma qualidade tão elevada dentro de um livro policial. A autora soube dosa na medida certa, para manter total atenção do leitor, romance e ação. Com uma trama totalmente policial, Erik mesmo em sua aposentadoria é enveredado para enrascada e foi interessante ver como ela pesou bem o casal, com sua contra-partida, que é justamente toda essa trama de intrigas, segredos e mentira que os envolve. Marina e Erik são personagens muito carismáticos e inteligentes. Ele tem uma perspicácia enorme e log se nota a propriedade da Christine sobre sua criação, visto que ele não escorrega em momento algum, nem fere nenhum de seus princípios em todo o livro. Com um personagem masculino tão forte, você poderia achar que a mocinha seria daquele estilo 'não-me-toque', e aí vem outra grata surpresa, pois Marina é tudo que os livros atualmente não mostram que as mulheres podem ser.

Com uma força imensa, Marina mostra que príncipes encantados não existem e que todos erram, precisam ser perdoados e que relacionamento nenhum é perfeito. E com essa lufada de realidade, o leitor sente-se muito mais próximo dos personagens e da trama a ponto de se ver comparando situações vividas, com a ficção do livro. Independente, forte, batalhadora, guerreira, Marina é a junção de tudo que as mulheres são na atualidade e tudo que uma mulher de verdade quer ser. Ela não espera ser salva ou resgatada no final do dia. Não, ela aceita sua vida, aceita seus erros, os erros dos outros e sabe que precisa ser mais forte a cada dia. Um outro personagem que me deixou curiosa e espantada foi James, melhor amigo de Marina. Ele é um cafajeste de primeira, mas ele ama tanto sua melhor amiga e faz tantos sacrifícios por ela que me deixou com vontade que a Christine M. escrevesse, ao menos, um conto para ele.
"Não sei o motivo de eu ter escolhido conhecê-lo, mas cada detalhe faz com que a razão não importe."
Apesar de ter dado 5 estrelas para o livro, tenho uma ressalva quanto a conclusão da estória. Achei o final bastante corrido e a resolução de toda a trama algo muito banal. Após mais de 200 páginas de agonia e suspense, imaginei algo totalmente diferente ocorrendo no final. Até mesmo o culpado por tudo que aconteceu foi algo surpreendente, diria até que inimaginável. A diagramação interna do livro é linda, a fonte é muito diferente do que já vi, o trabalho da capa está magnifico e apesar de várias pessoas reclamarem do padrão do papel usado nas capas da Novo Conceito, preciso confessar que o amo. A mobilidade que ele proporciona é muito boa.

Jornalista, taurina, viciada em livros, filmes, seriado e em conhecer novos lugares. Adora estudar inglês e acha que essa deveria ter sido sua língua mãe.

7 Comentários
Comentários

7 comentários

Write comentários
19 de junho de 2014 02:23 delete

Não sei porque os autores tem essa mania de correr com o final
Ainda mais quando ele é revelador
Gostei muito da resenha
Já estou seguindo *~

Beijos
|•| http://pocketlibro.blogspot.com.br

Reply
avatar
19 de junho de 2014 11:16 delete

Pela capa, não imaginava que essa era a premissa do livro. Achei bem interessante e fiquei com vontade de ler.
Sua resenha está muito bem feita, se não fosse ele, não teria me interessado pelo livro.

M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho

Reply
avatar
19 de junho de 2014 12:43 delete

oi Ray, que interessante esse livro, estava bem curiosa e ainda não tinha lido uma resenha com as ressalvas que você fez, mesmo assim estou tão curiosa que vou me arriscar na leitura e torcer para curtir!
http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

Reply
avatar
Ivana Montiel
AUTHOR
19 de junho de 2014 13:52 delete

Oi Ray, tudo bem ?
Não sou muito fã de livros policias, justamente pelas descrições excessivas que muitos deles trazem, mas esse me interessou justamente por vc dizer que não há tantas descrições e já vai direto aos pontos. Tb gostei da sua descrição dos personagens, parece ser super legal.

Beijos, Ivana

http://omundinhoderebecca.blogspot.com.br

Reply
avatar
19 de junho de 2014 13:58 delete

Nossa amei a resenha, linda, mais um livro p minha imensa listinha rsrsr

Reply
avatar
19 de junho de 2014 14:43 delete

Oie Ray
eu tenho os dois livros da autora, mas ainda não li nenhum.
Nem sabia que esse era um romance policial, o que aumentou minha curiosidade sobre ele.
Pena que o final foi corrido.
bjos
www.mybooklit.com

Reply
avatar
ludmillaneres
AUTHOR
19 de junho de 2014 15:08 delete

Quando vi, achei que se tratava de um romance haha
Parece ser bem legal. Faz muito tempo que não leio esse gênero (acho que pretty little liars não conta haha).
http://eu-ludmilla.blogspot.com.br/

Reply
avatar