[Resenha] Number Thirteen - Bella Jewel

21:02 14 Comments A+ a-


Sem nome, sem casa, sem conhecidos, sem saber quem é. É assim que Thirteen se encontra, este não era seu nome, mas é a partir de agora, não por sua escolha, ele está tatuado em sua mão. Quando ela acorda-se em um galpão sem lembrar-se de nada de seu passado, junto com mais 12 meninas que parecem estar da mesma forma, ela não reage, sua única ação é tentar lembrar-se de quem é e descobrir o que estão fazendo ali. Prisioneiras de William, que esconde um grande segredo, elas vão aprender que obediência em sua casa é tudo, e que um deslise merece ser punido. Quando Thirteen começa a descobrir partes de seu passado e sobre o passado de seu novo mestre, William, ela passa a achar que seria melhor nunca ter começado a lembrar-se de nada. Mas as questões são: Por que William as mantêm ali, presas? Por que ele as escolheu? Por quais motivos 13 garotas? Ao lado de tudo isso, ela tem que conviver com uma paixão irrefreável que passa a sentir por seu sequestrador, porém fica cada vez mais e mais difícil.

Ao começar a ler este livro, achei que pela primeira vez iria me confrontar com uma obra real, que iria sentir pânico e que iria querer matar algumas pessoas. Contudo, meu sentimento ao terminar o livro foi apenas um: confusão. Thirteen é uma típica garota americana em sua aparência: loira, olhos claros e linda. Seu passado é um buraco negro, mas ela sabe que é doloroso. O que me chocou foi que ao ser descoberto todos os problemas dela, o leitor fica querendo abandonar o livro, porque é algo  ridiculamente mal explicado. A personagem não é carismática, não é adorável, nem nada agradável, ela simplesmente é. Ela existe num mundo da fantasia, e diga-se de passagem, ela vive pessimamente mal. Tão alienada que dá vontade de socar ela, não só por sua paixão irracional pelo seu sequestrador, mas por umas cenas que seria spoiler se eu falasse. Ela é irritante, mas tem seus momentos, claro, nada que a salve de ficar a beira do precipício, porém isso é o que faz o leitor prosseguir.

Sobre William, já posso afirmar exatamente o mesmo, só que ele é mais aceitável que Thirteen. A primeira cena do livro é uma das mais descritivas de toda a obra, ele sofre um terrível atentado e isso o muda para sempre, e é a partir daí que surge a ideia das garotas, também não irei contar a motivação dele, mas garanto, que ao mesmo tempo que é muito boa, é muito sem noção. Ele é poderoso, bonito, cheio da grana, não faz nada da vida... Posso o definir assim, mas aí estaria esquecendo sobre as outras características dele, como por exemplo seu constante problema com seu pai. O pai de William é um magnata que o odeia. Simples assim, ele adora o irmão gêmeo de William, mas o odeia, sem motivo nenhum. Isso é muito importante no decorrer da estória, pois será um divisor de águas, apesar de eu continuar achando que o livro é mal escrito. Existem algumas cenas que realmente fazem o livro parecer menos ruim.

Uma questão que me intrigou bastante e que poderia ter feito o livro soar mais atrativo, é a Síndrome de Estocolmo, como nunca tinha lido nenhum livro onde alguém é sequestrado, não tinha noção do que realmente parecia. A autora é muito rasa em relação a isso, na verdade ela não levanta em momento algum essa sugestão no pensamento de Thirteen. A personagem é totalmente alheia a esta doença, tal como William. Enquanto ela almejava que este relacionamento fosse real, suave, o leitor ficou com a impressão de que ele é muito forçado, e claro que o fato da relação deles ser muito mais paixão física ajuda isso. Não é que o livro seja um erótico, ele não é, mas o relacionamento entre Thirteen e William parece ser muito mais físico que realmente sentimento.

Classifiquei o livro como um 3 estrelas, a abordagem dele teria tudo para ser boa, mas a autora se perdeu em algum momento da narrativa e ficou por lá. A fora isso, ele é inconclusivo, deixa várias pontas soltas e os personagens não cativam, para ser bem sincera, a sinopse é que é a grande culpada por toda a enganação que o leitor sofre. Ela promete algo que não cumpre. Não consegui separar quotes do livro, pois além de o estar lendo no kindle, não consegui achar nenhuma frase que me cativasse ou chamasse minha atenção para merecer um destaque. A leitura não é enfadonha, o que ajuda no deficit que a autora deixa na questão qualidade.

Jornalista, taurina, viciada em livros, filmes, seriado e em conhecer novos lugares. Adora estudar inglês e acha que essa deveria ter sido sua língua mãe.

14 Comentários
Comentários

14 comentários

Write comentários
22 de maio de 2014 07:43 delete

Não conhecia esse livro
Mas é muito chato quando o autor não sabe escrever bem e nos deixa perdidos e confusos
Já estou seguindo ;)

Beijos
@pocketlibro
http://pocketlibro.blogspot.com

Reply
avatar
Ivana Montiel
AUTHOR
22 de maio de 2014 15:38 delete

Oi Ray.
Faz mais ou menos 1 semana que ouvi falar desse livro e eu achei que fosse mais profundo. Achei que fosse meio suspense. Acho que a sinopse dá uma idéia e é uma pena que o livro se perde. Poderia ser uma história excelente. Não tenho mais curiosidade nenhuma de ler. Não gostei e se a personagem principal não tem carisma então, fica complicado, porque a gente quer se apegar em um personagem, né

Beijos Ivana
http://omundinhoderebecca.blogspot.com.br

Reply
avatar
22 de maio de 2014 19:34 delete

Oie! Infelizmente faz um tempo que tenho evitado livros que nos apresenta este tipo de sentimentos " ficar perdida na historia ". A sinopse é a venda do livro e ler uma sinopse e depois se deparar com outra historia para mim é enganação =/ Otima resenha!

Uma pena!

Beijos Joi Cardoso
Estante Diagonal

Reply
avatar
23 de maio de 2014 10:49 delete

Não conhecia o livro. Ao ler a sinopse, pensei em algo totalmente diferente do que você relatou na resenha. Uma pena que a autora se perde assim na escrita.

M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de Maio

Reply
avatar
TOM MORAIS
AUTHOR
23 de maio de 2014 12:25 delete

Não conhecia, mas me interessei bastante. Ele me lembrou bastante Maze Runner (eu sei que tem pouquíssimo á ver, eu sou meio idiota). Mas é realmente horrível livros que deixam pontas soltas.
cronicasdeumlunatico.blogspot.com

Reply
avatar
23 de maio de 2014 15:05 delete

Li e tbm dei 3 estrelas no skoob
sei lá esse livro é meio coisado,não me desceu rsrsrsr

Reply
avatar
Carol Teles
AUTHOR
24 de maio de 2014 01:42 delete

Tenho uma raiva mortal quando um autora tem uma ideia genial e se perde no meio. Dá vontade de bater legal nela pra ver se cria juizo.
Pena mesmo que o livro não funcionou para ti. Não tinha lido nada sobre ele, e depois da resenha acho que nem a síndrome de Estocolmo chama minha atenção. E olhe que gosto do tema!!

bjus
terradecarol.blogspot.com

Reply
avatar
24 de maio de 2014 14:51 delete

Ai...vixi pelo que vejo não gostou nada, nada do livro. Enfim...obras que deixam o leitor confuso são complicadas! Não sei se leria.
Bloody Kisses!
Monólogo de Julieta

Reply
avatar
ludmillaneres
AUTHOR
24 de maio de 2014 17:31 delete

Odeio quando isso acontece. Não fiquei interessada, pois não gosto de livros confusos.
beijos
http://eu-ludmilla.blogspot.com.br/

Reply
avatar
Anne Caroline
AUTHOR
24 de maio de 2014 19:09 delete

Que pena, adorei a sinopse e achei que seria incrível e agora esse banho de água fria. Mas obrigada!

Bjs!
Viciados Pela Leitura

Reply
avatar
Laiana
AUTHOR
5 de julho de 2014 12:24 delete

Sera q vai ter continuação pra a autora colocar as explicações q faltam nesse livro?

Reply
avatar
4 de agosto de 2014 16:01 delete

Eu gostei muito do livro, fiquei perdida no começo mais no final foi esclarecedor!!!

Reply
avatar
30 de agosto de 2014 18:22 delete

Quer ler um livro sobre sequestro e que aborda a Síndrome de Estocolmo leia Captive in the Dark, muito bom.

Reply
avatar
21 de novembro de 2016 12:40 delete

Amei esse livro
Muito bm escrito e com conteúdos otimos, no comeci é difícil de entender mais logo melhora e ai vc n para de ler
Mds ótimo livro

Reply
avatar