[Resenha] Um Perfeito Cavalheiro - Julia Quinn

20:30 9 Comments A+ a-

Antes de mais nada tá rolando no blog uma promoção valendo os dois primeiros livros dessa série, confere AQUI. Agora sim, vamos a resenha! \O/

Terceiro livro da série dos Bridgertons, e suspiro todas as vezes que termino de ler um livro dessa série, pois são perfeitos. A Julia Quinn tem tomado um lugar enorme na minha lista de livro preferidos ever. Como todos já devem saber, a série dos Bridgertons narra, em cada livros, a estória de um irmão, no total são 8 deles. Em Um Perfeito Cavalheiro conhecemos o romance do segundo irmão mais velho, o Benedict. Sendo o segundo irmão mais velho, ele se 'livrou' do peso de carregar o título de Visconde, que foi dado ao seu irmão mais velho, Anthony. Apesar de não ser um visconde, Benedict ainda é um Bridgerton, sendo assim, todas as moças da cidade não ligam. O que é importa é que ele é um Bridgerton! E isso incomoda profundamente nosso mocinho, pois ele não quer ser o Bridgerton número 2, ele quer que as pessoas saibam quem é o Benedict e que gostem dele por isso, não pelo fato de pertencer a família que pertence.

Não podemos afirmar que ele tem raiva de sua família, muito longe disso, ele a ama de verdade, porém citando palavras dele 'Não é fácil ser um Bridgerton'. Parece que todas as moças que estão debutando, junto com suas mães só enxergam os homens desta família, o que irrita profundamente, não só ao Benedict, como também ao seu irmão Collin. Esses dois quando comparecem à alguma festa pagam uma penitência danada com a mãe deles, Violet, que quase sempre os obriga a dançar
 com algumas moças que são 'rejeitadas' pela sociedade por não atender ao padrão que eles exigem. E é, numa dessas 'danças' que Benedict conhece Sophie. Na verdade é numa 'quase dança', pois na verdade ele deveria dançar com Penelope, que é esquecida mediante a entrada de Sophie na festa de máscaras de Violet. A química entre os dois se dá desde o primeiro instante de seus encontros, apesar de não ter nada íntimo demais entre eles durante uma boa parte do livro.
" Não era só que quisesse, mas precisava. Precisava dela a seu lado, embaixo dele, em cima dele. Precisava dela nele, ao redor dele, como parte dele. Precisava dela como precisava de oxigênio."
Sophie só tem um sonho em sua vida: ir à um baile e ser, por um dia, uma moça da alta sociedade londrina. Mas, ela não pode. Apesar de ser filha de um conde, Sophie é maculada por seu passado, ela é uma filha bastarda de uma ex-empregada de seu pai. A menina foi abandonada na porta de seu progenitor aos 3 anos de idade, e viveu até seus 10 anos como pupila de seu pai. Este se negava a assumir que Sophie era sua filha, entretanto deu tudo que qualquer criança poderia ter. E assim Sophie foi feliz, até que seu pai resolveu casar-se novamente, e sua madrasta era uma bruxa, no sentido figurado. Quando o pai de Sophie morre, ela passa a ser empregada de sua madrasta, Araminta e de suas duas filhas, Rosamund e Posy. Ela serve obedientemente sua madrasta e 'irmãs', até o dia que a governanta da casa escuta Sophie confessando que seu maior sonho é ir à um baile de verdade, então todos os empregados se juntam para tornar este sonho realidade.
"Quando eu pensava no que precisava de fato da vida, não no que eu queria, mas no que precisava, a única coisa que me vinha a mente era você."
Como puderam notar, a estória beeeeem Cinderella, e isso é muito bom, só que é um Cinderella um pouco diferente, afinal, envolver a família Bridgerton em contos de fadas só poderia dar em confusão. No baile Sophie e Benedict se conhecem, mas a meia noite, após um beijo apaixonante se separam, e assim permanecem por dois longos e exastivos anos. Em outra ocasião, uma bem tensa para Sophie, eles se reencontram, mas Benedict não a reconhece sem sua mascará, mas a salva da situação. E a partir daqui vemos um Benedict tentando lutar contra a atração que sente por Sophie, e a traição que sente por sentir essa atração por uma mulher que não seja a dama de prateado, ou seja, a Sophie do baile de mascarás. Quando ele assumi que dar vazão a toda essa tensão sexual será melhor que abafá-la e só pensar em alguém que ele nem sabe o nome, Benedict faz uma proposta muito ousada para Sophie: a de ser sua amante. O que ele não esperava era a recusa tão firme que receberia, juntamente com o ultraje que a acompanharia.

Entre idas e vindas o casal vai parar na casa da matriarca da família Bridgerton, e é muito divertido ver como Violet, consegue descobrir os sentimentos de seus filhos em apenas um olhar. Notando que seu filho morre de amores pela sua mais nova empregada, sim, Benedict faz a mãe arrumar um emprego para Sophie na casa dele, a senhora decide fazer de tudo para juntar esses dois e levar mais um filho seu ao altar.
" - Você é o motivo pelo qual eu existo. O motivo pelo qual eu nasci."
Como nos livros anteriores da série, temos um romance muito, muito doce e divertido, essa família é do barulho e nos faz dar boas risadas e nos lembrarmos de nossas próprias famílias, que apesar de loucas, amamos de paixão. Benedict e Sophie são personagens que particularmente, achei muito brilhantes e perfeitos, apesar de Anthony ainda ser meu irmão favorito. Achei que o livro faltou mais contato entre o casal, que ficou muito restrito pela coisa da Sophie se fechar em sua concha por ser filha bastarda e não explicar isso ao Benedict. Ele também teve uma pequena parcela de culpa, já que relutou em se entregar ao romance pelo fato dela ser empregada. O livro me deixou, pela primeira vez em TODA a série, curiosa sobre a Lady Whistledonwn, a fofoqueira que escreve uma crônica obre a sociedade contando tudo que acontece a todos através de um jornal. Tenho cá minhas desconfianças sobre quem seja essa pessoa misteriosa, e a autora deu uma pista no final deste livro, apesar de não ter ajudado em nada. ):

Não preciso nem dizer que estou mais uma vez, totalmente, apaixonada. O romance entre Benedict e Sophie é sincero e paira sobre o casal desde o primeiro momento. O livro tem algumas cenas hot, porém nada muito descritivo nem vulgar, é apenas um casal que se ama seguindo o curso natural das coisas. Quanto mais leio essa série, mais apaixonada fico, por tanto, nem preciso dizer que estou pra lá de ansiosa para o livro do Colin, que será o próximo. Lindo, fofo, super romântico, um conto de fadas maravilho, escrito belamente e que nos faz suspirar por vários momentos. Indico, alias, mais que indico a leitura dessa série a qualquer pessoa, pois parece que a qualidade da escrita e das estórias nunca caem e o clichês se renovam de uma forma brilhante. Cinco estrelas muito merecidas para Um Perfeito Cavalheiro.

Outras Quotes: 





Outros Livros da Série:
O Duque e Eu
O Visconde Que me Amava

Jornalista, taurina, viciada em livros, filmes, seriado e em conhecer novos lugares. Adora estudar inglês e acha que essa deveria ter sido sua língua mãe.

9 Comentários
Comentários

9 comentários

Write comentários
22 de fevereiro de 2014 23:15 delete

Ah, eu preciso muito ler esta série!!
Parece ser maravilhosa!

Reply
avatar
23 de fevereiro de 2014 09:30 delete

A cada rsenha que leio percebo o quanto preciso dessa série, os livros parecem ser ótimos e eu só vi comentários positivos...
Beijos!
http://sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br/

Reply
avatar
Laura
AUTHOR
23 de fevereiro de 2014 20:24 delete

Quotes lindas. Fiquei curiosa e ainda tem promocao dos dois primeiros. vou participar

Reply
avatar
Patrícia
AUTHOR
23 de fevereiro de 2014 20:30 delete

adorando o blog sendo atualizado e vc é muito boa em resenhas. Participando da promoção.

Reply
avatar
23 de fevereiro de 2014 20:31 delete

Estou lendo o livro agora e tive que me obrigar a largar um pouco, pois está muito viciante

Beijos
@pocketlibro
http://pocketlibro.blogspot.com

Reply
avatar
24 de fevereiro de 2014 20:40 delete

Aii que tudo! Fico vendo as resenhas desses romances de época aqui no teu blog e pirando. kkkkkk Estilo cinderella com pitada de confusão é tudo que queria em um livro.
Bloody Kisses
Monólogo de Julieta

Reply
avatar
Luiza
AUTHOR
25 de fevereiro de 2014 18:01 delete

Estou lendo esse livro agora e amando.
Bjs
http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

Reply
avatar
Natália Keli
AUTHOR
1 de abril de 2014 21:36 delete

Os livros da Julia Quinn parecem ser garantia de leituras envolventes. Não sei o motivo de não ter lido nada dela ainda. Preciso mudar isso logo. Ótima resenha!
Beijos
All My Life in Books

Reply
avatar
Tuliane
AUTHOR
8 de maio de 2014 09:06 delete

Já li os três livros: Duque e eu, O - Visconde que me amava, O - Perfeito cavalheiro, Um, o meu preferido é o segundo! Recomendo...

Reply
avatar