Resenha: Dançando Sobre Cacos de Vidro - Ka Hancock

21:38 7 Comments A+ a-

Primeiramente, queria pedir desculpas pela minha falta com relação a regularidade de postagens aqui no blog. Estou passando por uns probleminhas, mas vou tentar manter o padrão. A resenha de hoje é bem especial para mim, e eu espero que vocês gostem.



Algumas vezes, quando estou resenhando um livro penso: 'Nossa, isso está tão parecido com a resenha que fiz anteriormente', e por motivos que entenderam mais para frente, resolvi começar a resenha do livro Dançando Sobre Cacos de Vidro desta forma, apenas colocando para fora o que acho, o que sinto. Porque esse livro me fez isso: Sentir, tudo intensamente, de uma forma diferente e clara, abrindo minha mente e me fazendo sair da minha zona de conforto. O livro conta a estória de uma família, uma linda família que tem problemas como qualquer outra, mas que nos faz refletir sobre algumas coisas que nos cerca e durante o dia a dia não paramos para pensar. Lucy, Priss e Lily são irmãs que vem de uma linhagem de câncer muito severa, mas elas tentam com firmeza viver uma vida normal e não esperar o pior, Lucy já sofreu e batalhou contra esta doença uma vez, e sabe que ela pode voltar a qualquer momento. Apesar de tudo isso, ela vive uma vida normal, ou o mais normal para uma pessoa que faz um check-up agoniante a cada ano para saber se sua vida ainda está na linha certa.

"- Mickey, eu realmente acredito que todo mundo deveria ser importante para alguma outra pessoa neste raio de planeta a ponto de valer a pena lutar por ela. Isso vale para mim também. E ninguém está lutando por mim. Eu desisto."

Com um romance de fundo entre Mickey e Lucy a autora apresenta ao leitor uma trama cheia de realismo. Michey sofre de uma doença chamada bipolaridade, que hoje é controlada por remédios, mas ele nem sempre segue a risca o que precisa fazer, causando assim alguns surtos e hospedagens
 na ala psiquiátrica do hospital, entretanto, mesmo com todos esses problemas eles parecem terem sido feitos um para o outro, e a autora conseguiu levar isso até a última página do livro. Eles se conhecem no aniversário de Lucy de 21 anos, e apesar de já saberem que se amam, Michel reluta em envolver Lucy em sua loucura. Com intercalações entre capítulos com cenas no presente e cenas no passado o leitor vai tendo uma ideia de como eles se conheceram e do dilema que enfrentam. O engraçado era que me via dividida ao terminar cada capítulo, pois não sabia se queria um flashback ou se queria continuar a saber do presente deles. Um dos tópicos que separei como norteadores desta resenha foi a família, e quem leu o livro entenderá o que quero dizer com isso, pois a família de Lucy, toda ela, até a parte morta, é de extrema importância em todo decorrer da trama. A união que existe entre Priss, Lucy e Lily é singular de uma forma surreal.
"Não estou certo do que você está procurando Mic, mas quando se ama uma mulher como se ela fosse o ar que respiramos, do jeito como você ama Lucy, como eu amei sua mãe, pode demorar uma vida inteira para nos recompormos."
A autora, Ka Hancock, conseguiu criar uma família tão parecida com todas que vivem nesse mundo real, que só me fez mais e mais ávida pelo livro, então, vocês já estão entendendo que este romance tocou o fundo da minha alma. Acho que muito além disso. Outro ponto que escolhi para expor aqui, foi o fato da reflexão que o livro me trouxe. Veja bem, poucos livros realmente me deixam em ressaca literária, e se eu tivesse tempo, Dançando Sobre Cacos de Vidro, me deixaria numa ressaca de um mês ou mais. Lucy conseguiu me prender por sua capacidade de não pensar apenas em si mesma, mesmo em momentos de tribulações, ela foi capaz de colocar outros em preferência, e isso me fez questionar: quantas pessoas conseguem fazer isso? Mesmo dentro de uma família? Depois de superar esse questionamento comecei a refletir sobre quantas pessoas estão lá fora, sofrendo neste momento, e nós, não nos dignamos a fazer uma oração pedindo a Deus que acalente o coração delas e de suas famílias. Esta última reflexão me fez chorar por 10 minutos seguidos. 
"Diga a ela que mesmo quando o restante de mim falhou e o pouco que eu podia dar diminuía diariamente, meu amor por ela enchia o Universo."
Fora tudo isso que já comentei sobre a obra, algo me perfurou: até onde vai o amor de uma mãe por sua filha. Nossa, suspirei muitos suspiros de choro ao me dar conta do quanto uma mãe pode fazer por filho, mesmo sem o conhecer. E isso Lucy deixa em um patamar de personagem favorito para mim. Acho que livro bom, é livro que nos faz capazes de fazer inferências de ficção com realidade, e isso é o que não falta aqui. A autora soube trazer para um livro aspectos da vida que nunca tinha lido antes, desde o prólogo, o leitor consegue sentir que esta obra será uma daquelas que te fará tirar várias lições de vida e ainda te fará ver o mundo de outra forma, sob um novo ponto de vista, mas com o decorrer do livro, o leitor não apenas vai tirando lições ou fazendo inferências e vendo o mundo sob um novo ponto de vista, ele vai aprendendo sobre a vida e qual o verdadeiro significado dele. O significado do amor de uma família, de um homem por uma mulher, das dificuldades que a vida nos impõe e até mesmo que a morte nos coloca, mas principalmente o leitor entende que mesmo sabendo que o fim é inevitável, o que vem no meio faz o fim valer a pena.

Com personagens tocantes, final desesperador, estória realista e uma escrita fabulosa, dançando Sobre Cacos de Vidro entrou na minha lista de livros favoritos, e ainda me deu o que pensar em como ser um ser humano melhor, me fez refletir e para de pensar apenas em mim, e até mesmo entender um pouco mais sobre os sentimentos tão altruístas que minha mãe sente por mim, claro que o livro me tocou pessoalmente pela minha família ter um longo histórico de câncer, assim como o da família da Lucy, mas isso é apenas a borda de algo muito pequeno, se comparado com a grandeza magnifica que a autora nos apresenta por palavras tão comuns, mas que forma uma bela estória e algumas belas lições, que todo ser humano deveria aprender. Enfim, mordi a língua com relação a livros existenciais ao ler este, pois além de quebrar minha promessa de nunca ler algo assim, ele conseguiu entrar na minha lista de perfeição em forma de palavras.

Jornalista, taurina, viciada em livros, filmes, seriado e em conhecer novos lugares. Adora estudar inglês e acha que essa deveria ter sido sua língua mãe.

7 Comentários
Comentários

7 comentários

Write comentários
23 de outubro de 2013 22:23 delete

Oi Ray, tudo bem? Não conhecia o livro, mas parece ser mesmo lindo! Adorei e vou marcar na minha listinha!

Seu blog está lindo, viu? Estou seguindo e pretendo voltar sempre.

Beijos,
Leitora Online


Reply
avatar
23 de outubro de 2013 22:38 delete

AMO resenhas grandonas. Sei que ñ gosta então se o fez é porque o livro marcou pra valer ;)
Olha, depois de "A culpa é das estrelas" e "Cante para eu dormir" , esse último ACABOU comigo, resolvi dar uma paradinha na gênero.
Porque qdo tudo corre na história de uma forma verossímil vc se coloca fácil no lugar da personagem...tenho 2 filhos, então "cutuca" demais nosso coração bobo de mãe!

A emoção começa antes de abrir o livro com suas resenhas!!! '-' bjuu

Reply
avatar
Ray Pereira
AUTHOR
23 de outubro de 2013 22:45 delete

Fabi, apesar de ser um gênero triste, e essa foi minha primeira leitura desse estilo, achei que valeu muito a pena as lágrimas e a tristeza que passamos a carregar. Parece que nos torna mais humanos. Obrigada pelo comentário e pelo elogio. A obra realmente me tocou.

beijo

Reply
avatar
Erika Marinho
AUTHOR
24 de outubro de 2013 08:46 delete

Já vi algumas resenhas desse livro e ele parece ser muito lindo.
Quero muito ele rsrsrsrs
Amei a resenha

Bjus
http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

Reply
avatar
D e s s a
AUTHOR
24 de outubro de 2013 19:12 delete

Fiquei imaginando o livro só com sua resenha e até me emocionou. Não tinha lido nenhuma resenha ainda, e adorei a história!
Com certeza vou ler.
beijos
Apenas um Vício

Reply
avatar
24 de outubro de 2013 19:50 delete

Gente inlove pelos quotes <3
gosto de livros de chorar hauhauahuahaah
adorei a resenha <3
Beiijos,
Paula
http://psicosedaleitura.blogspot.com.br/

Reply
avatar
29 de outubro de 2013 16:32 delete

Esse livro acabou com a minha pessoa. Muito muito lindo, mas muito muito triste também.
Todo mundo deveria ler, mas vão avisado, é de partir o coração.

Bjs, @dnisin
www.seja-cult.com

Reply
avatar