[Resenha] O Fantasma da Ópera - Gaston Leroux

23:06 3 Comments A+ a-


Baseado em fatos reais, esse clássico não me prendeu no começo da leitura, porque o prefácio do livro quase que conta o desfecho da história, porém eu não poderia estar mais enganada. Durante as muitas viradas de página descobri que nem sempre o que é mau, se envestigado a fundo, é mau de verdade. E quando conhecemos Christine Daaé, Raoul Chagne e o misterioso Fantasma da Ópera nos vemos envolvidos por uma trama surpreendente.

“Diga que compartilhará comigo um amor,uma vida.É só dizer e eu a seguirei”

O casal protagonista do livro, se é que posso chamar assim Chritine e Raoul, têm um envolvimento antigo, que veio da infância, porém esse amor é frustrado quando a jovem cantora de ópera conhece um misterioso ser que habita o porão de um dos teatros mais requisitados de Paris. Sua voz é inebriante e sua presença é vista em todos os lugares e diga-se de passagem, isso é meio que maravilhoso e instigante, já que você passa a se questionar sobre quem é esse tal de 'Fantasma da Ópera'.

“Ama-me e verás! Só me faltou ser amado para ser bom.”

Bem, preciso confessar que até antes do último capítulo do livro estava o julgando um pouco, okay confesso, muito chato e meio sem noção. Não é que os fatos não se associem uns aos outros, mas é que o romance entre o Raoul e a Christine é fraco e a melhor cena de todo o livro para mim foi a que ela narra como foi ser sequestrada pelo temido fantasma. Ou as cenas que os diretores que assumiram recentemente o Teatro, Richard e Moncharmin.

Eles estão morrendo de raiva, a princípio, por achar que os funcionários deles estão brincando com relação ao Fantasma, e logo ao descobrir que ele realmente 'existe, eles se
 borram de medo, o que é um humor bem vindo, porque a trama é sempre muito pesada. A obra é muito bem escrita, apesar de eu ter achado erros grotescos de português no decorrer do livro, talvez a minha versão não tenha sido muito bem revisada, mas a gente releva em face da marvilhosa leitura.

“Há momentos em que a excessiva inocência de espírito parece tão monstruosa que se torna detestável.”

Falando sobre os personagens: São todos uns bobos! E isso, como todos que me acompanham aqui sabe, me irrita a ponto de querer abandonar a leitura! Sinceramente, a Christine é aquele tipo de mocinha que não te cativa, porque ela é indecisa e futil. Ao concluir a leitura, conclui que ela faz o que faz, pois não aceita a aparência de quem ela realmente ama. O Raoul é muito apaixonado pela Christine, tanto que parece um louco chorando pelos cantos, irritando a todos, por um amor que as vezes dá a impressão de ser muito frágil e superficial.

Apesar desses dois não serem quase nada cativantes, o Érik, nosso amado fantasma, cativa por todos os personagens de toda a história. E posso afirmar que quando tudo mais me fari desistir dessa leitura, ele me segurou tão fortemente que nem consigo descrever. O epílogo foi uma grande surpresa para mim, pois não foi nada do que esperei, após ler o prólogo, me frustrando totalmente.

Como falei, apesar de tudo isso, esse clássico é uma leitura obrigatória para quem ama literatura, não apenas por ser um clássico, mas por motivos obvios de brilhantismo que o autor apresenta no decorrer do livro, se o blog tivesse classificação de livros, esse ganharia 5 estrelinhas e o Gaston um beijo na testa. Hahahahhahaah quem já leu o livro vai entender a piadinha.

Jornalista, taurina, viciada em livros, filmes, seriado e em conhecer novos lugares. Adora estudar inglês e acha que essa deveria ter sido sua língua mãe.

3 Comentários
Comentários

3 comentários

Write comentários
14 de agosto de 2013 12:22 delete

Eita Ray!!! Juro que não sabia que era baseado em fatos reais!!! O.o

Fiquei curiosa, entrando pra listinha!!

Beijooo

Reply
avatar
Alessandra
AUTHOR
15 de agosto de 2013 23:14 delete

Eu também não sabia que era baseado em fatos reais! Já vi os musicais, tenhos os DVDs mas não conhecia o livro. Fiquei mega interessada em ler, por que sou mega fã do musical, então não consigo imaginar a história sendo menos interessante. A Christine é bem jovenzinha, deve ter uns 15 anos? é natural que seja inocente e até um pouco fútil. O Erik tem uma história bem triste, daí sua amargura, mas ele é sem dúvida o personagem mais intenso, mais apaixonante da história. Mesmo assim eu amo o Raoul, por que ele é meigo e ama e quer proteger a Christine, não apenas possuí-la. :)
Sem dúvida vou procurar o livro, você atiçou minha curiosidade ao nível máximo!
Beijão Ray!

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
7 de janeiro de 2014 19:49 delete

voce falou numa parte o achava chato então veja o video no youtube é bem mais intereçante.
se entendem melhor as coisas
bjs

Reply
avatar