Resenha: Amante Sombrio - J. R. Ward

22:34 0 Comments A+ a-


Vou apresentar a vocês a série mais maravilhosa sobre vampiros que vocês poderiam algum dia ler.

Escrito pela brilhante J. R. Ward, A Irmandade da Adaga Negra, é um universo paralelo dentro do nosso universo comum e banal. No primeiro volume da série somos apresentados ao vampiro Rei, super controlador, possessivo e teimoso, Wrath. 

“Permita-me que conserte as coisas.Sente-se e cale a boca.”

Toda a história se passa na cidade de New York, nas sombras da noite vampiros travam uma luta de séculos contra carrascos. A surpresa é que os vampiros, nessa história, não estão em eterno conflito tentando sobreviver ‘comendo’ humanos e se esconder. E eles não são imortais como em outras histórias.

Wrath é o vampiro mais puro de sua raça. Orfão de pai e mãe ele sofre de cegueira parcial, mas seus sentidos vampíricos dão suporte para que ele seja um guerreiro extremamente  letal. Durante um atentado de seus inimigos, o melhor amigo de Wrath, morre, deixando sua única filha Beth. Ela está muito próxima da data de mudança, sendo a mesma uma mestiça suas chances de sobreviver são muito poucas, a não ser que um vampiro muito poderoso entre na jogada!

“- Você está quase pronta - disse com brandura -, e vai acontecer logo.
Se o ‘vai acontecer’, que ele menciona tinha a ver com eles se despirem, ela estava completamente de acordo com o plano.”

Outro detalhe muito importante sobre a série é que a autora escreveu um pequeno ‘manual’ apenas para as palavras especiais usadas pela raça. Como falei é um universo totalmente paralelo, onde Deus e Satanás não existe. Eles tem seus próprios deuses e inimigos.

O período que a Beth está prestes a passar, ‘Transição’ é passado por todos os vampiros e eles precisam beber de um outro de sua espécie, porém esse tem que ser do sexo oposto. Assim como eles apenas se alimentam de sua espécie, pois sangue humano é fraco, se comparado ao deles.

Muito relutantemente Wrath junta-se a Beth prometendo a si mesmo apenas a ajudar durante o período de transição, mas ele termina apaixonando-se pela solitária garota. Contudo, nada no mundo é perfeito e no mundo vampírico de J. R. Ward muito menos. 

“Mas, Deus, a ideia de que ela pudesse gostar do que o sujeito lhe estava fazendo, que pudesse preferir o sabor daquele beijo humano, era suficiente para lhe fazer palpitar as têmporas."

A forma leve e complexa com a qual J. R. nos introduz nesse universo é viciante, tão viciante que quanto mais se lê mais se quer. O livro é simplesmente maravilhoso, a história é cativante e ainda melhor, credível. Me senti mergulhada acompanhando todos os pontos de vista no decorrer da leitura. Leitura fantástica, e nem vamos falar no quão erótico ele é! Espero trazer a resenha dos seus sucessores para vocês em breve.

Jornalista, taurina, viciada em livros, filmes, seriado e em conhecer novos lugares. Adora estudar inglês e acha que essa deveria ter sido sua língua mãe.

0 Comentários
Comentários