Resenha: Belo Desastre - Jamie McGuire

19:47 0 Comments A+ a-



Em uma palavra eu consigo resumir todo o livro: Travis. Mas como existem outros personagens, então vou contar algumas coisinhas para vocês. Abby Abernathy é aquele tipo de garota certinha que não anda fora da linha. Ela está tentando fugir de seu passado não tão sombrio quando se vê de cara com o tipo de homem que ela menos esperava se sentir atraída.

Com sua melhor amiga, America, Abby procura se esconder de todo tipo de perigo, contudo Travis aparece, e deixe-me dizer: Que aparição! O típico badboy com abdômen definido, tatuagens e todo o comportamento ruim… em um pacote não tão ruim assim. Eu nunca tinha lido um livro com um Badboy como o Travis Maddox. Ele simplesmente vive de lutas. Isso mesmo ele gasta suas noites em clubes de luta e ainda tira as maiores notas da faculdade.

Travis se vê atraído por Abby desde o primeiro fora. Ela não corresponde
 as investidas dele(ela é louca), o que ocasiona uma curiosidade maior ainda nele sobre ela, porém o que era apenas uma curiosidade evolui para uma atração avassaladora! Uma aposta é tudo que essa atração precisa. Travis aposta que pode vencer uma luta sem nem ao menos receber um golpe, Abby diz que não. Se ele perder, fica um mês sem sexo, o que acho que seria quase impossível para ele, se ela perder irá passar um mês dormindo no apartamento que ele divide com seu primo Sheply, que é namorado da America. Ela perde, claro! Quem mandou ser besta e apostar contra o (deuso, muso, tudo que há) Travis?

Sabe o que eu mais amo no Travis? A capacidade dele de ser amável com a Abby. Travis teve um vasto ‘cardápio’ de mulheres na universidade, mas ele muda totalmente com Abby, que ele chama carinhosamente de beija-flor. Os meios que ele usa para mostrá-la o quanto a ama, é no mínimo fofo, e no máximo: Quero gritar dizendo que te amo. “Pertenço a minha amada, e minha amada pertençe a mim”, é exatamente isso que ele tatua em seu corpo.

Esqueça as cenas de sexo de Toda Sua e de 50 Tons de Cinza, porque aqui é apenas fazer amor mesmo, mas sabe aquele livro leve que tem erótismo doce e que em uma tarde você lê e se sente bem realizando a leitura? É Belo Desastre. A química entre o casal é explosiva e doce, uma combinação complicada.
“- Aposto 50 paus que você vai me agradecer por isso quando conhecer sua futura esposa. - Essa aposta é fácil. A única mulher com quem algum dia eu me casaria acabou de partir meu coração.”
 O Travis reúne uma série de características irritantes e necessárias como ciúmes, possessivismo, explosão e drama. O livro é tão bom que você não consegue olhar a capa dele sem que um sentimento de nostalgia e saudade lhe faça abrir e ler, nem que seja algumas partes. Mais que recomendo o livro porém deixo uma advertência: O Travis já é meu! O Grey também. Eles fazem parte do meu vasto Harém.

Jornalista, taurina, viciada em livros, filmes, seriado e em conhecer novos lugares. Adora estudar inglês e acha que essa deveria ter sido sua língua mãe.

0 Comentários
Comentários